Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

26 Julho de 2018 | 11h45 - Actualizado em 26 Julho de 2018 | 12h41

Campo multi-uso "Nzolani" em Mbanza Kongo vandalizado

Mbanza Kongo - O campo multi-uso denominado "Nzolani", localizado nas imediações do projecto habitacional das 15 casas, bairro 11 de Novembro, em Mbanza Kongo, província do Zaire, encontra-se, actualmente, em estado de abandono e alvo de acções de vandalismo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Zaire: Estado de abandono do camo multi-uso das 15 CASAS

Foto: Pedro Moniz Vidal

Zaire: Estado de abandono do campo multi-uso das 15 CASAS

Foto: Pedro Moniz Vidal

Inaugurado a 25 de Julho de 2015, o complexo polivalente para a prática do desporto de salão foi construído no âmbito do programa de investimentos públicos (PIP) do governo local para atender os anseios da juventude que reclamava por mais espaços para a prática do desporto e a recreação.

Volvidos três anos, o campo multi-uso e respectivo parque de diversão ao ar livre ficou totalmente vandalizado, tendo sido retirados os equipamentos nele instalados como tabelas, aros, balizas, rede de vedação, entre outros.

Os balneários também não foram poupados, notando-se a retirada de portas, janelas e sanitas, para além do material eléctrico, como constatou hoje, quinta-feira, a Angop.

Contactado pela Angop, para pronunciar-se a volta desta situação, o director do gabinete provincial da Cultura, juventude e desportos, Biluka Nsakala Nsenga, atribuiu a culpa aos munícipes pela vandalização do recinto.

Esclareceu que esta infra-estrutura há muito foi entregue à administração municipal de Mbanza Kongo para a sua gestão, pelo que o seu sector, a nível provincial nada tem a ver com o ocorrido.

Por sua vez, o chefe de secção da cultura, organização, juventude e desportos da administração municipal de Mbanza Kongo, André Vuvu Marques, lamentou a situação prevalecente e explicou que a infra-estrutura foi entregue às autoridades do município já em estado avançado de degradação, há sensivelmente dois anos.

Segundo disse, a entrega foi parcial, pelo facto de não terem sido cedidas as chaves de alguns anexos ao projecto como os quiosques e os balneários que foram também alvo de vandalização por meliantes.

O responsável não avançou solução a curto prazo para travar a onda de destruição do espaço, frisando que a sua recuperação total vai requerer avultadas somas em dinheiro que neste momento não estão à disponibilidade da administração municipal.

Entretanto, a fonte aventa a hipótese da cedência do projecto à gestão privada, para quem existem já solicitações de três entidades para o efeito, um pedido que deverá ser analisado pelos órgãos competentes que poderão definir os moldes para a efectivação deste desiderato.

Enquanto isso, alguns munícipes residentes na área onde se localiza o campo multi-uso queixaram-se do abandono a que foi votado após a sua inauguração, considerando ser a razão principal pela danificação deste bem público.

Para o jovem António Vicente Júnior, a infra-estrutura deixou de merecer a atenção devida das autoridades governamentais locais, lamentando o facto de se ter aplicado dinheiro público numa obra que em nada serviu aos cidadãos.

“Um bem abandonado, em qualquer parte do mundo é alvo de acções de vandalização, porque nem todos os cidadãos têm a consciência de cuidar o que é público para o usufruto de todos”, asseverou, tendo também defendido a ideia de cedência do espaço à gestão privada.

Pedro Bernardo Vieira, também morador desta zona, corrobora com a ideia de que a vandalização do campo multi-uso só foi possível por falta de segurança e de uma entidade idónea para cuidar deste património público.

Testemunhou que, após a sua inauguração, na altura, foi destacada uma brigada policial que velava pela segurança do parque, mas que deixou de comparecer com o decorrer do tempo.

“É triste o cenário que o espaço apresenta. O local virou depósito de lixo e latrina para muita gente”, lamentou.
 

O interlocutor discorda com a ideia de se entregar o recinto à gestão privada, por se tratar de um bem público erguido com dinheiro público, receando pagamento para o acesso ao local.

A aluna Belinda Suzana Sebastião, também residente na zona das 15 casas, destacou a importância do parque de diversão instalado neste complexo polivalente, frisando ser uma mais-valia para a ocupação dos tempos livres das crianças e da juventude.

Pediu, por isso, às entidades competentes à tomada de medidas para reverter o actual estado de abandono e vandalização deste espaço que ocupa uma área de 500 metros quadrados.

 

Assuntos Província » Zaire  

Leia também
  • 14/09/2018 16:33:27

    Federação de lutas forma técnicos e árbitros

    Mbanza Kongo - Doze candidatos a treinadores e árbitros de lutas associadas concluíram nesta sexta-feira, em Mbanza Kongo, província do Zaire, uma acção formativa sobre a modalidade, numa promoção da Associação Provincial dos Desportos de Combate.

  • 29/08/2018 12:23:38

    Judocas confiantes na conquista de medalhas

    Soyo - O secretário-geral da associação municipal de artes marciais no município do Soyo, província do Zaire, Paulo Isabel, afirmou hoje, quarta-feira, nesta cidade, que os judocas locais estão aptos para conquistar medalhas de ouro no campeonato nacional da modalidade, a decorrer de 8 a 9 de Setembro, em Luanda.

  • 10/07/2018 01:16:43

    Judocas participam em estágio na RDC

    Soyo - Quinze atletas de diversas escolas de judo do município do Soyo, província do Zaire, deslocam-se no próximo dia 15 deste mês para a localidade de Muanda (RDC), onde participarão num estágio de duas semanas, visando o campeonato nacional da modalidade, a decorrer em Agosto, em Luanda.