Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

26 Janeiro de 2019 | 21h57 - Actualizado em 26 Janeiro de 2019 | 21h57

Girabola: Académica do Lobito resiste, mas perde diante do Petro

Lobito - A Académica do Lobito perdeu hoje (sábado) diante do Petro de Luanda, por 1-2, no Estádio de Ombaka, em Benguela, em jogo da 14ª jornada da primeira volta do Campeonato Nacional de Futebol Girabola ZAP.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Pormenor de um jogo do Petro (foto/ilustração)

Foto: Henri Celso

Frente a um crónico candidato ao título (2º posicionado provisoriamente com 24 pontos) e representante angolano na Liga dos Clubes Campões Africanos, a Académica procurou jogar de igual para igual, mas acabou por tombar ante a superioridade dos tricolores, que aproveitaram as dificuldades do adversário.

Fazendo jus à qualidade do seu plantel, a equipa orientada pelo hispano-brasileiro Beto Bianchi adiantou-se no marcador à passagem do minuto 12 da primeira parte, por intermédio de Carlinhos, o mesmo que viria a ser determinante em tantas outras jogadas de perigo.

A resposta da formação visitada, orientada pelo angolano Júnior Paulino, não tardou a chegar. Assim, Libero tentou surpreender o guarda-redes Gerson, porém, a eficácia defensiva do Petro, aliada à eficiência no ataque, contrariava os planos dos anfitriões.

Com certa vantagem na posse de bola, o Petro de Luanda fez o 2 a 0 aos 33 minutos, num golo de belo feito assinado por Mateus, após uma bicicleta bem executada e que deixou o guarda-redes Rui sem hipóteses para defesa.

Sem baixar os braços, a Académica do Lobito conseguiu esboçar uma reacção para alterar o resultado desfavorável. A escassos minutos do intervalo, Quitembo mandou a bola para o fundo da baliza dos tricolores, reduzindo assim o marcador.

No reatamento, o Petro de Luanda impôs a sua superioridade. Tiago Azulão e Kananga, por exemplo, estiveram sempre em destaque em lances de perigo que tiravam o sono a Rui. Realce ainda para um remate forte de Carlinhos, naquele que seria o terceiro golo, não tivesse a bola passado a poucos centímetros da trave.

Mas, os anfitriões não ficaram impávidos ante o avanço da formação forasteira. Tchabalala respondeu com uma jogada rápida de contra-ataque, o que lhe valeu ovação do público, mas perdeu muito tempo e atrasou-se perante o bloco defensivo do Petro de Luanda.

Embora a qualidade do Petro fosse visível, os últimos minutos do jogo trouxeram algum equilíbrio, muito por conta da desconcentração dos jogadores tricolores, mas a Académica não conseguiu mudar a marcha no marcador e o triunfo dos visitantes acabou mesmo por se confirmar com o apito final do juiz Rodrigues Aleixo.

Leia também