Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

01 Dezembro de 2010 | 16h46 - Actualizado em 01 Dezembro de 2010 | 16h45

Porto de Luanda movimenta mais de quatro milhões de toneladas no primeiro semestre

Balanço

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – Quatro milhões e 830 toneladas de mercadorias diversas é o volume de tráfego registado pelo Porto de Luanda, no decurso do primeiro semestre deste ano, afirmou hoje o presidente do conselho de administração da empresa portuária, Francisco Venâncio.

Ao falar à imprensa em conferência, o responsável esclareceu tratar-se de dados confirmados de um balanço provisório, e que neste momento está a decorrer a avaliação da actividade desse último semestre. Contudo, avançou que durante os dois últimos anos a média de volume de tráfego foi de nove milhões de toneladas.

Por outro lado, informou estar a movimentação de mercadorias mais dinâmica e segura, e da melhoria dos serviços a nível do porto e a implementação de novas estratégias, o que está a permitir aos navios permanecerem apenas três dias no máximo no mar para a sua atracagem e o descongestionamento portuário.

Relativamente à tarifa, explicou ter havido um agregamento considerável, desde que se efectuou a sua actualização, obrigando a fixação do valor mínimo da taxa em 30 dólares, a contar do sexto ao trigésimo dia do primeiro mês de entrada da mercadoria, tendo em conta que os cinco primeiros dias são gratuitos.

“Até 2008 a taxa mínima era de seis dólares. Actualmente os importadores estão a pagar, a partir do sexto dia ao 30º, uma taxa de 30 dólares/dia. Do 31º dia até ao 60º dia a taxa é de USD 60, e a partir do 90º dia em diante a taxa é de 90 dólares” – precisou o gestor do Porto de Luanda.

Quanto à segurança das mercadorias no interior da unidade portuária, disse existir o máximo controlo a nível da instituição, mas que a sua inviabilidade compete aos terminais e as alfândegas, que utilizam sistemas credíveis e algumas estratégias eficientes de evitar roubos.

Realizada nas instalações do Porto de Luanda, a conferência de imprensa serviu para apresentar o III Encontro de Portos dos Países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que Angola vai acolher quinta e sexta-feira.