Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

07 Janeiro de 2011 | 19h01 - Actualizado em 07 Janeiro de 2011 | 19h31

Governo aplicará dois biliões de dólares na implementação de vários projectos

Indústria

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro da Geologia, Minas e da Indústria, Joaquim David

Foto: ANGOP

Luanda  - O ministro da Geologia e Minas e da Indústria, Joaquim David, afirmou hoje, em Luanda, que o financiamento que o Estado tem preparado para o relançamento de várias unidades fabris no país está acima de dois biliões de dólares norte-americanos.

Joaquim David anunciou, neste âmbito, o relançamento da Textang II, com equipamentos tecnológicos modernos, de modo que a sua produção possa competir com os bens importados.

“O financiamento que o Estado colocou em benefício do sector privado, para o relançamento destas indústrias é superior a um bilião de dólares. Estamos a falar de indústrias de uma actividade que terá uma  intensidade clara também em termos de capital”, disse Joaquim David na cerimónia de cumprimentos de ano novo.

Afirmou que o sector está neste momento em fase de preparação, análises e discussão de acordos financeiros para o relançamento da África Têxtil em Benguela, da Satec no Dondo e da indústria de descaroçamento de algodão em Malanje.

O governante frisou que, no sector agrícola, esforços estão ser feitos no sentido de se  incrementar a plantação do algodão.

“Estamos a falar de projectos de elevada tecnologia que darão milhares de postos de trabalho”, referiu.

Para cobrir o défice que existe no sector habitacional, adiantou, o sector foi orientado no sentido de  lançar esforços no domínio dos materiais de construção civil. Referiu que as fábricas de cimento existentes e as  projectadas estarão sob tutela do Ministério da Geologia e Minas e da Indústria.

Para tal, estão em curso construção da fábrica de cimento do Bom Jesus (no Kwanza Sul), Benguela e Luanda.

“Vai eventualmente levar-nos a uma suficiência na oferta de cimento, a partir de 2014/2015. E se os esforços continuarem, dentro de dois a três anos, estaremos em condições de ser exportadores de cimento ao contrário da situação actual em que importamos todo o cimento que consumimos”, disse.

A nível do agro-alimentar, disse que foi aprovado o relançamento da actividade de Moageira no país.

Segundo o ministro, está igualmente em estudo o relançamento da indústria do açúcar, a criação de pólos de desenvolvimento industrial e uma  fábrica de fertilizantes município do Soyo, província do Zaire.

Na indústria de minerais, está em estudo a implementação de projecto para a refinação do alumínio, um produto derivado da bauxite.

Segundo disse, foi decidido também a nível do Conselho de Ministros o relançamento do Complexo de Cassinga, da actividade exploração do ferro, manganês bem como a  exploração e produção do cobre.

“Em todos estes projectos nós faremos os possíveis para acrescentar valor à produção do mineral em bruto” frisou.

Neste âmbito, Joaquim David anunciou igualmente a construção de uma siderurgia na província do Namibe ou da Huíla para aproveitar a produção do ferro, a partir  de Cassinga.

Entretanto, o governante sublinhou que um dos exercícios mas significativos em 2010 foi o início do relançamento de sector têxtil no país.