Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

28 Outubro de 2014 | 17h15 - Actualizado em 28 Outubro de 2014 | 17h15

Angola: Integração económica é importante para países da CPLP

Luanda - A secretária de Estado das Finanças, Valentina Filipe, considerou hoje (terça-feira), em Luanda, que a tarefa de harmonizar os resultados macroeconómicos entre os países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) constitui o único caminho capaz de promover a integração crescente das economias da comunidade.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ao intervir na cerimónia de abertura da 29ª reunião do Conselho de Directores – Gerais da Alfândegas da CPLP, Valentina Filipe referiu que esta harmonização dos resultados pode ser dada pela vertente das  vantagens comparativas nas fronteiras ou pela capacidade de aumento da produtividade em todos os sectores das economias, garantido-lhes  crescimento sustentável, com melhor distribuição das riquezas nacionais.

Sublinhou que, pelos princípios das vantagens comparativas, a inserção competitiva se inicia  pelo aumento da produtividade na agro-pecuária,  pescas e na agro-indústria, produzindo cada vez mais para atender o consumo interno e gerar excedentes exportáveis.

Por sua vez, o secretário-geral  da conferência  de  directores - gerais  das Alfândegas  da CPLP, Francisco  Curinha,  informou  que a CPLP  em 2012 representava  3,67 porcento do Produto Interno Bruto Mundial e 3,9 porcento do comércio mundial,  mantendo a maioria dos países  que a  integram um crescimento anual positivo,  o que perspectiva  um desenvolvimento sustentado para o futuro com natural reflexo nas trocas comerciais.

Uma aposta dos países da CPLP deve incidir sobre a implementação de medidas que facilitem o comércio, o que irá permitir a todos os países da CPLP, contribuir para o desenvolvimento das suas relações comerciais dando origem a um maior desenvolvimento económico.

Segundo referiu, desde 2007, um dos grandes  objectivos alcançados pela comunidade foi a criação de um portal especifico para as alfândegas da CPLP, além de outras acções.

Integram  o conselho de directores das Alfândegas  da  CPLP, Angola, Moçambique, Cabo-Verde, São Tomé  e Príncipe ,Brasil, Guiné-Bissau , Portugal e Timor Leste.

Neste encontro, os  grandes  ausentes  são Timor Leste,  Cabo Verde e Guiné Equatorial.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 15/01/2015 21:21:59

    Angola na lista única de países autorizados a exportar produtos da pesca para União Europeia

    Luanda - Depois de várias etapas de trabalho de reabilitação de laboratórios de química e microbiologia, formação de quadros e auditorias, Angola passa a fazer parte da lista única dos países autorizados a exportar todos os produtos da pesca para a União Europeia (EU), disse em exclusivo à Angop, em Luanda, a ministra das Pescas, Victória de Barros Neto.

  • 13/01/2015 12:44:00

    Angola: Ouro negro em baixa

    Luanda - O ouro negro volta a ser notícia depois de o preço do barril do Brent ter recuado dos 115 dólares, em Junho último, para cerca de 60. Para debater a situação da baixa do preço do petróleo, a nível mundial, foi realizada, recentemente, em Abu Dhabi, um fórum sobre energia, com a participação da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), com o objectivo de analisar e conceber soluções para mitigar a situação.

  • 12/01/2015 18:44:21

    Malanje: Mais de 200 hectares desbravados para campanha agrícola em Caculama

    Malanje - Duzentos e 90 hectares de terras serão desbravados no município de Caculama, 55 quilómetros a leste da cidade de Malanje, com vista a plantação de mandioca, batata-doce e outras culturas, durante a campanha agrícola deste ano.

  • 10/01/2015 18:05:52

    Huíla: INADEC regista mais de 200 infracções em 2014 na Huila

    Lubango - O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADC) na provincial da Huíla registou, no ano de 2014, 216 infracções comerciais, menos 20 em relação ao ano anterior, informou hoje, sábado, à Angop, a directora do órgão, Bárbara Coutinho.