Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

23 Dezembro de 2016 | 17h22 - Actualizado em 23 Dezembro de 2016 | 17h26

Grupo angolano investe USD 14 milhões no supermercado "Mangolé "

Luanda - Catorze milhões de dólares norte-americanos (USD) é o valor financeiro investido pelo grupo empresarial angolano Sodosa, S.A na construção, apetrechamento e funcionamento do super mercado "Mangolé", no município luandense de Viana, no quilómetro 9-A.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro do Comércio, Fiel Domingos Constantino (arquivo)

Foto: Pedro Parente

Com uma área de quatro mil e 500 metros quadrado, a estrutura foi inaugura hoje, sexta-feira, pelo ministro do Comércio, Fiel Domingos Constantino.

Trata-se de um estabelecimento que gerou 125 empregos e está voltado à venda de produtos alimentares, materiais de higiene e bebidas, além de ser especializado no comércio a grosso e a retalho.

Ao falar à imprensa, após o acto de inauguração, Fiel Domingos Constantino afirmou que a iniciativa vai estender os serviços comerciais e representa um passo importante na normalização da rede comercial na região.

“O município de Viana, pela vasta dimensão e densidade populacional, tem um espaço de mercado que permite absorver iniciativas como estas”, frisou.

O governante afirmou que o Executivo cria políticas e os empresários, através da sua aplicação, contribuem para o desenvolvimento da economia nacional.

Almejou maior empenho do Grupo Sodosa na actividade comercial e na expansão da rede comercial  

Por sua vez, a administradora adjunta para área política, social das comunidades de Viana, Helena Vaz de Oliveira, disse que a criação deste super-mercado vai encurtar a distância dos compradores que vivem na circunscrição.

Já o presidente do Conselho de Administração da Sodosa, António Soares, pretende que a Mangolé seja uma marca presente no mercado e que cresça e ajuda a desenvolver os produtos no mercado, a dar emprego e a disponibilizar os produtos nacionais da melhor qualidade e em boas condições.  

Informou que as frutas, legumes, bebidas, materiais de higiene, detergentes expostos no estabelecimento são produzidas no país. “A gestão do estabelecimento pretende que a carne a ser comercializada seja igualmente de produção nacional”.

O super mercado Mangolé integra o grupo empresarial angolano Sodosa, S.A, presente em diversos sectores de actividade desde a produção agro-industrial, construção, transportes, distribuição alimentar e na venda de produtos a grosso e retalho.

Assuntos Comércio   Economia  

Leia também
  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.

  • 01/02/2019 20:07:05

    Construção da barragem de Baynes estimada em USD 1,2 mil milhões

    Cacuso - A construção da barragem hidroeléctrica Binacional de Baynes, com início previsto para 2021, no rio Cunene, fronteira entre Angola e a Namíbia, está estimada em 1,2 mil milhões de dólares, avançou hoje (sexta-feira), em Malanje, o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges.