Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

06 Abril de 2016 | 13h18 - Actualizado em 06 Abril de 2016 | 14h35

Angola: FMI garante apoio ao Governo angolano face à crise

Luanda - O Fundo Monetário Internacional (FMI) vai apoiar o Governo angolano, por via de um programa complementar à estratégia de saída da crise, voltado para a diversificação da economia nacional, tendo em conta o declínio dos preços do petróleo no mercado internacional.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Edifício sede do Ministério das Finanças

Foto: Pedro Parente/arquivo

O apoio do FMI é uma resposta a uma solicitação do Governo angolano, que irá trabalhar com a organização internacional para conceber e implementar políticas e reformas destinadas a melhorar a estabilidade macroeconómica e financeira, nomeadamente através da disciplina fiscal.

Nesta respectiva, o Ministério das Finanças refere, numa nota de imprensa a que a Angop teve hoje (quarta-feira) acesso, que o Governo pretende estabelecer um perfil das despesas públicas, que seja coerente com o objectivo do desenvolvimento sustentável.

Refere que o perfil das despesas públicas deve estar sincronizado com a reforma do sistema fiscal não petrolífero e com a eficiência.

“Esforços serão voltados para a simplificação do sistema fiscal, no alargamento da base tributária e redução da evasão fiscal”, indica o Ministério das Finanças.

Uma das apostas é a melhoria da transparência das finanças públicas e do sector bancário e aponta os sectores da agricultura, pescas e mineração como focos do Executivo para a diversificação da economia a curto prazo.

O Governo considera, prossegue a nota, a expansão desses sectores como uma ferramenta importante na melhoria do emprego a nível nacional.

Para reduzir os custos dos projectos de infra-estrutura, melhorar os procedimentos da contratação pública e o ambiente de negócios, o documento refere que o Executivo continua optimizar a parceria com o Banco Mundial e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Trata-se de parcerias que visam elevar a atracão do investimento privado, com destaque ao investimento estrangeiro

As autoridades angolanas esperam iniciar as discussões com o FMI nos meados de Abril, durante as próximas Reuniões da Primavera em Washington.

Estas discussões continuarão pouco depois, em Angola, para definir o âmbito de medidas de política económica a serem tomadas no quadro dos requisitos do Programa de Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility - EFF).

O referido programa tem foco em reformas para remover ineficiências, manter a estabilidade macroeconómica financeira, estimular o potencial económico do sector privado, e reduzir a dependência do sector petrolífero.

Leia também