Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Maio de 2016 | 18h30 - Actualizado em 12 Maio de 2016 | 18h29

Pérola do Kikuxi próximo de produzir total de ovos que país necessita

Luanda - A fazenda Pérola do Kikuxi, localizada no município de Viana, província de Luanda, prevê até final deste ano (2016) produzir 30 milhões de ovos/mês, dos 52 milhões que o país necessita para satisfazer as necessidades de consumo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Produção de ovos

Foto: Pedro Parente/Arquivo

Por Domingos Raul Francisco

A produção de ovos, no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND 2013-2017), é considerada pelo Executivo como “projecto bandeira” e consta das prioridades em termos de implementação, com vista a acabar com a importação de ovos.
 
A fazenda Pérola do Kikuxi conta com uma área de 950 hectares onde, entre outros, está a produzir 24 milhões de ovos/mês, fruto de um financiamento na ordem de 50 milhões de dólares norte-americanos, investimento dividido entre a banca, no quadro do Angola Investe, e capitais próprios do grupo.
 
Este projecto, que começou a ser implementado em 2012 por iniciativa familiar, explica à Angop Elisabeth Dias dos Santos, administradora da Pérola do Kikuxi, conta com toda cadeia de produção, desde a produção de ração, aviários, área de abate.
 
Evolução do projecto

O grupo com uma direcção adoptada de capacidade técnica e especializada conta com uma fábrica de rações, denominada "Nutrimix", com capacidade para produzir 20 toneladas de ovos/hora, centro de classificação de ovos com a capacidade para 60 mil ovos/hora, bem como uma unidade de abate e transformação de aves com a capacidade para duas mil e 500 toneladas/hora.

Para suporte da actividade, a fazenda possui 830 mil galinhas poedeiras, distribuídas em oito naves, que comportam 130 mil animais por cada nave. Tem ainda uma outra vertente, que é dos frangos de cortes, com 12 pavilhões que permitem atingir o abate de 100 toneladas de frangos frescos/mês.

Segundo Elisabeth Dias dos Santos, os resultados alcançados até ao momento têm a ver com o empenho, dedicação e entrega dos 450 trabalhadores, dos quais 410 nacionais, que diariamente nas primeiras horas do dia dão o seu melhor, para garantirem uma boa produção e de qualidade os produtos que maioritariamente são comercializados no país.

Os segmentos de produção da fazenda, que ainda não estão a ser explorados na totalidade devido a vários factores, fazem com que o grupo traga ao mercado interno produtos diversos de cariz nacional com qualidade internacional.

A crise económica está a permitir que os produtores nacionais ganhem consciência e o momento é oportuno, para uma aposta, cada vez mais, na produção nacional e não olhar muito nas importações.
 
Como qualquer indústria que pretende elevar a sua capacidade de produção, o difícil acesso na aquisição de divisas para a obtenção da matéria-prima, bem como para o pagamento de salários, está a dificultar a ambição e o sonho do grupo em levar para as famílias angolanas, e não só, de pelo menos um ovo fresco e de qualidade para cada membro de casa.

Principais mercados de venda e perspectivas do grupo

Uma empresa com ambição de ver os seus produtos comercializados satisfatoriamente procura encontrar uma cadeia de vendas, como da Pérola do Kikuxi, que, para além das diferentes superfícies comerciais no país, é a principal aposta do grupo e compradores singulares nacionais. A fazenda prevê exportar também seus produtos para alguns países vizinhos, nomeadamente a RD Congo e República do Congo.

A Fazenda Pérola do Kikuxi está localizada numa zona privilegiada, tendo em conta a proximidade do mercado do consumo e água. Conta igualmente com uma central eléctrica. "Apesar destas vantagens, as fontes alternativas, como grupos geradores, não deixam de funcionar, dadas às limitações das centrais eléctricas. Logo, a subvenção dos combustíveis impõe-se para minimizar os gastos dos produtores", acrescenta.

Sem avançar o valor do investimento mensal para aquisição de combustíveis, Elizabeth Dias dos Santos diz que os custos são altos e impossibilitam o grupo de vender o ovo a um preço que se enquadre à realidade angolana.
 
"É impossível um bom funcionamento de uma indústria, sem subvenção dos combustíveis, o que nos obriga a vender o ovo a 50 kwanzas e a caixa industrial com a capacidade de 360 ovos a 16 mil 500 kwanzas", reforça.

Para atingir a meta de 30 milhões de ovos/mês, o grupo vai ainda no decurso deste ano construir mais três naves, para congregar 130 mil aves e pretende duplicar a capacidade de classificação, que actualmente ronda 60 mil/hora, para 120 mil, cujas infra-estruturas se encontram já em fase conclusiva.

Produção de ração

Tendo em conta a capacidade de produção da fazenda, os empresários estabeleceram parcerias estratégicas com grandes e pequenos produtores de cereais, para responder as necessidades, que vão acima de 23 mil toneladas de ração/ano.

Quanto à intervenção social da quinta, sublinha que ainda não é a desejável, apesar de enquadrar filhos de trabalhadores nas diferentes unidades de produção e prevê um projecto de escolas técnicas e profissionais para substituir a mão-de-obra estrangeira.

A fazenda Pérola do Kikuxi tem 450 trabalhadores, sendo 410 nacionais e os restantes 10 expatriados. Conta com serviços integrados e foi inaugurada a 8 de Fevereiro de 2014.

Leia também
  • 08/11/2018 12:01:22

    Projecto agrícola de Lukunga prevê colher 161 toneladas de produtos

    Mbanza Kongo - Cento e 61 toneladas de produtos agrícolas diversos esperam ser colhidas na campanha 2018/2019 na fazenda denominada Colina de Lukunga, no município do Tomboco, província do Zaire.

  • 05/11/2018 17:20:27

    Madang EP sem qualquer ligação aos entrepostos de madeira

    Luanda - O Ministério da Agricultura e Florestas esclareceu em hoje, em nota de imprensa, que a empresa Madang EP não tem qualquer ligação com a gestão dos entrepostos de produtos florestais em construção no País e muito menos é gerida por cidadãos de nacionalidade chinesa.

  • 03/11/2018 17:33:59

    Aumento da produção potencia sector agro-alimentar

    Luanda - O aumento da produção agropecuária poderá potenciar e estabilizar o sector agro-alimentar no País, com vista a garantir melhor qualidade de vida aos cidadãos, considerou hoje (sábado), em Luanda, o secretário de Estado para a Agricultura e Pecuária, Carlos Alberto Jaime Pinto.

  • 02/11/2018 12:24:13

    Israel disponibiliza USD 300 milhões para projectos agrícolas

    Mbanza Kongo - Trezentos milhões de dólares norte americanos é o valor que o Estado de Israel dispõe para financiar projectos agrícolas em Angola, anunciou quinta-feira, no município do Tomboco, província do Zaire, o seu embaixador, Oren Rozenblat.