Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

20 Setembro de 2016 | 09h33 - Actualizado em 20 Setembro de 2016 | 09h33

Huíla: Vice-governador realça aposta no sector eléctrico

Lubango - A aposta nos sectores de energia, águas, vias de comunicação, transportes e plataformas logísticas é crucial para potenciar o programa de diversificação da economia, em curso no país, afirmou hoje, no Lubango, o vice-governador da Huíla, Sérgio da Cunha Velho.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Cunha Velho - Vice-governador da Huíla

Foto: José Krthinas

Ao dissertar o tema "Politicas para  a diversificação da economia na província da Huíla", numa palestra enquadrada nas  comemorações dos 33 anos da Faculdade de Economia da Universidade Mandume, assinalados segunda-feira, o responsável apontou a necessidade de apoio ao empreendedorismo e ao empresariado local no acesso às divisas como outro elemento importante nesse processo.

Cunha Velho disse que as políticas de reforço da contribuição da província na  estabilização macroeconómica do  país passam  também pela diversificação da base produtiva, de   financiamento de projectos agro-pecuários de cariz empresarial.

O fomento da indústria alimentar, da exportação, da indústria transformadora, do  turismo, produção mineira e redução das importações, assim como o aumento das exportações são outras estratégias indicadas pelo governante.

"Esta é uma situação com a qual estamos a lutar e, estamos a encontrar uma série de dificuldades, pois o país está carente de divisas,  uma parte dos programas financiados no quadro do Angola Investe está paralisada", realçou.

"Nós hoje  estamos a lutar para ver se  afectivamente engatamos um pouco  mais de oxigénio a nossa indústria, uma vez que a base económica da província da Huíla  é a agropecuária, um sector que desponta  muito na nossa província", disse.

O governante apontou um  outro sector de  grande peso, para a  diversificação da economia na província, o da mineração, com realce para as rochas ornamentais, que hoje pesa muito na balança  comercial da província da Huíla.

"Uma outra política, é a de promoção do emprego,  capacitação e valorização dos recursos humanos, pois, já vimos que a peça fundamental para o desenvolvimento de qualquer sociedade, de qualquer programa é o homem, pois, este bem formado e cheio de valências pode levar a bom porto os objectivos dos  programas  governo", disse.

A Faculdade de Economia da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, pertence a VI Região académica e compreende as regiões da Huíla e a província do Namibe, com sede  na cidade do Lubango.

Leia também
  • 05/02/2019 20:30:46

    Crédito francês avaliado em mil milhões de euros

    Luanda - Um total de mil milhões e 500 mil euros de bancos franceses, Banco Nacional de Paris (BNP), Banco Público de Investimento da França (BPIFRANCE) e a Societe Generale, estão disponíveis para financiar projectos privados em Angola.

  • 05/02/2019 19:14:15

    Angola quer ajuda francesa para edificar economia forte

    Luanda - O Executivo angolano está a contar com ajuda do Governo francês para a edificação no País de uma economia forte, menos dependente do petróleo, competitiva e capaz de gerar prosperidade.

  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 03/02/2019 10:32:56

    Mais de mil milhões de kwanzas serão empregues em projectos na Matala

    Matala - Mil milhões, 18 milhões, 527 mil e 126 Kwanzas foram disponibilizados, no âmbito do Orçamento Geral do Estado (OGE) referente ao exercício económico de 2019, para financiar 37 projectos no município da Matala.