Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

15 Novembro de 2017 | 06h30 - Actualizado em 15 Novembro de 2017 | 06h26

Cabinda: AGT promove ciclo de palestras para hoteleiros

Cabinda - A Administração Geral Tributaria (AGT), na primeira região tributária, realizou terça-feira, em Cabinda, um ciclo de palestras dirigido às unidades hoteleiras, pensões, hospedarias, restaurantes e bares.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Insígnia da Administração Geral Tributária - AGT -

Foto: Pedro Parente

O ciclo de palestras, com duração de um dia, visa partilhar e discutir alguns temas seleccionados de maneira didáctica, pedagógica de maneira que se consiga perceber o verdadeiro papel da AGT e quais  as principais preocupações do executivo.

O evento, que decorre no anfiteatro da Empresa Portuária de Cabinda, tem agendado palestra sobre “ A reforma tributária”, “ Cidadania fiscal”, “Obrigações fiscais/pagamento de impostos” e “ Regime especial de Cabinda-importação de bens alimentares e bebidas alcoólicas”.

Intervindo no acto de abertura do ciclo de palestras, o vice-governador para área económico, Romão Macário Lembe, disse que o ano de 2017 foi  marcado  por um conjunto de acções que de modo directo terá influência significativa no desenvolvimento socioeconómico do país e particularmente da província de Cabinda.

Realçou que com a criação da AGT passou-se  a imprimir novo dinamismo na actividade aduaneira e fiscal, facilitando o comércio e o controlo dos meios de transportes, pessoas e bens e sobretudo optimizando a receita tributária. Para o vice-governador, este é momento de empreender acções que visam disseminar conhecimentos sobre o exercício da tributação facto que implica o envolvimento de toda a sociedade, seja contribuinte singulares, colectivo e entidades públicas e privadas.

Esta actividade de arrecadação de receitas, explicou, pressupõe o combate à informalidade, pois que o país dispõe de um conjunto de legislações que habilita o exercício de actividades comerciais e industriais.  

Leia também