Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

05 Dezembro de 2017 | 15h01 - Actualizado em 06 Dezembro de 2017 | 11h37

Áreas marinhas garantem produção piscícola

Luanda - A criação das áreas marinhas protegidas visam garantir processos energéticos vitais, para manutenção de cadeias alimentares, protecção da biodiversidade e a produtividade piscícola, declarou hoje a ministra das Pescas e do Mar, Victoria de Barros Neto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ao  discursar na abertura do seminário sobre Gestão  de Áreas Marinhas Protegidas, a governante  sublinhou que as áreas protegidas auxiliam na conservação dos mananciais pesqueiros, através da protecção de áreas de desova e de crescimento dos recursos.

Salientou que os ambientes costeiros e marinhos são berçários de vida,  abrigam tanto ou mais biodiversidade do que as florestas, têm papel chave no equilíbrio climático e ainda abastecem a humanidade de alimentos e uma infinidade de recursos naturais vivos e não vivos.

Por sua vez, a directora nacional das pescas, Maria de Lurdes Sardinha,  disse que o encontro junta  especialistas das  pescas, petróleos, ambiente e transportes e está  a analisar dados  científicos colhidos  por representantes  destes  sectores,  para  que se  possa indicar que  áreas devem  ser protegidas  no país.

"Angola  considera  essas  áreas  como  “sensíveis”  que devem ser protegidas,  para que possa haver  um  aumento de produtividade  nos  oceanos,  quer a nível de pescado  quer  de  outros recursos, conservação, beneficio  para os actores  que se encontram no mar e  contribuir para a renovação dos recursos",  disse  a  directora nacional  das pescas,  Maria de  Lurdes  Sardinha.

Neste  seminário  queremos  analisar toda a informação  que  temos  colhido desde 2014, integra-la  e tentar recomendar  uma abordagem ou sítios onde  podemos criar zonas protegidos, sublinhou.

Entretanto, disse  já há áreas catalogadas e já há  números. São propostas sobre áreas a nível nacional”, disse a responsável.

Com a duração de três  dias, o workshop está a analisar a informação inter-sectorial existente sobre as áreas marinhas protegidas em Angola.

Dentro  da lei de recursos biológicos e das medidas de gestão, Angola  já  possui  algumas  áreas protegidas.

Angola iniciou a acção de criação de áreas  marinhas  protegidas em 2014 com  um  processo de consulta  sobre a analise e legislação regional existente no país.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 04/12/2017 15:59:30

    Sonangol e Total relançam indústria petrolífera

    Luanda - A Sociedade Nacional de Combustível de Angola (Sonangol ) e a companhia Total assinaram hoje, em Luanda, vários acordos de parceria para o relançamento da indústria petrolífera no país no segmento "upstream" e "downstream", no âmbito da cooperação entre a concessionaria angolana e a multinacional francesa.

  • 02/12/2017 05:15:52

    Saída da Sodiam na Victoria Holding Limited e Grisogono, destaque da semana

    Luanda - O anúncio da Sociedade Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam EP), segundo o qual cessa a sua participação na sociedade de direito maltês Victoria Holding Limited do Grupo Joalheiro De Grisogono, constitui matéria de capa do noticiário económico da semana.

  • 01/12/2017 16:03:49

    Sodiam cessa participação na Victoria Holding Limited e Joalheiro de Grisogono

    Luanda - A Sociedade Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam EP) anunciou hoje, em Luanda, a sua saída da sociedade de direito maltês Victoria Holding Limited do Grupo Joalheiro De Grisogono.