Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

21 Abril de 2017 | 17h03 - Actualizado em 21 Abril de 2017 | 17h45

Angola: Levantamento de dinheiro sem cartão começa em Setembro

Luanda - O sistema de levantamento sem cartão nos Terminais Multicaixas entram em funcionamento em Setembro deste ano, anunciou nesta sexta-feira, em Luanda, o administrador executivo da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), Sociedade da rede Multicaixa, Edgar Bravo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

A partir de setembro, mesmo sem cartão utentes poderão levantar dinheiro

Foto: Tarcisio Vilela

transacções no Multicaixa

Foto: Tarcisio Vilela

 Edgar Bravo, que falava por ocasião dos 15 anos de existência da EMIS, assinalados dia 18 deste mês,  sublinhou que neste momento, o sistema de levantamento sem cartão está na fase de desenvolvimento, esperando pelos testes para posteriormente ser colocado à disposição do público. 

De acordo com o responsável, a EMIS está a trabalhar no sentido de implementar faseadamente o sistema de levantamento sem cartão, como forma de massificar os serviços de pagamentos electrónicos em Angola, garantindo segurança, eficácia e inovação ao menor custo possível.
 

Quanto ao funcionamento, explicou que uma pessoa, mesmo que não tenha uma conta bancária ou um cartão possa dirigir-se a um ATM e fazer o levantamento do numerário.
 

“Esse levantamento começará por alguém que tenha uma conta bancária. Vai ao ATM e faz um pedido de autorização de enviar um montante para alguém, nessa altura é gerada um código que é enviado ao beneficiário que devera deslocar-se ao ATM, introduz o código e faz o levantamento”, disse.


Segundo Edgar Bravo, além do sistema de levantamento sem cartão, a empresa está a trabalhar igualmente para implementação de outros serviços, como o serviço de Multicaixa no telemóvel, que vai disponibilizar funcionalidades da rede no telemóvel, excepto levantar dinheiro e o pagamento por via da Web.
 

Nos serviços de ATMs podem ser feitas consulta de saldo, movimentos, levantamentos de notas, alteração de PIN, pedido de livro de cheque, captura de cartões, recargas telefónicas, pagamentos de facturas, apresentação eléctricas de facturas, consulta do INBAN, transferências bancárias, segunda via do talão carregamento e outros serviços, pagamentos por sector, levantamentos internacionais e consultas de saldos internacionais.
 

A EMIS é uma sociedade anónima detida pelo Banco Nacional de Angola (BNA) e pelos bancos comerciais, com objectivo de contribuir para a massificação do pagamento electrónico e a eficiência geral do sistema de pagamentos, garantindo segurança, eficácia, comodidade e inovação, ao menor custo possível. O primeiro cartão Multicaixa foi lançado a 18 de Abril de 2002.


 

Assuntos Banca   Economia   Finanças  

Leia também
  • 21/04/2017 17:22:24

    Moxico: Escassez de ração compromete projecto de piscicultura

    Luena - A escassez de ração apropriada para alimentar os alevinos (peixes) está a comprometer os projectos de piscicultura implementados nos municípios do Moxico (sede) e Camanongue, pela direção provincial da Família e Promoção da Mulher no Moxico.

  • 21/04/2017 16:56:53

    Angola: EMIS regista mais de 113 milhões de levantamentos em Multicaixas

    Luanda - O número de levantamento de numerários em Terminais Multicaixas (ATMs) atingiu 113 milhões e 74 mil em 2016, quando em 2015 foi de 100 milhões e 787 mil, segundo informações avançadas hoje pelo presidente da comissão executiva da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), José de Matos.

  • 21/04/2017 16:55:52

    Angola: EMIS vai expandir serviços para acesso universal

    Luanda - A Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), sociedade gestora da rede Multicaixa, está a trabalhar na expansão e facilitação do levantamento de dinheiro e pagamentos de serviços, como recargas telefónicas e televisivas, como forma de levar os seus serviços à toda população angolana.