Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

18 Maio de 2017 | 12h22 - Actualizado em 18 Maio de 2017 | 12h22

Bié: Governador tranquiliza jovens sobre aquisição de apartamentos

Cuito - O governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto, tranquilizou hoje, quinta-feira, no Cuito, os jovens que queiram obter moradias, que terão prioridade na aquisição dos apartamentos das centralidades "Horizonte do Cuito e Andulo", respectivamente.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Bié: Centralidade horizonte do Cuito/Bié

Foto: LEONARDO CASTRO

Bié: Álvaro Manuel de Boavida Neto - governador da província

Foto: LEONARDO CASTRO

Em declarações à Angop, o governante sublinhou que o Governo da província do Bié está empenhado para assegurar a lisura do processo de comercialização dos apartamentos e a juventude terá prioridade.

Boavida Neto solicitou, no entanto, mais calma aos cidadãos, salientando que o Governo criou uma equipa de fiscalização, que integra o sector técnico e infra- estruturas e das obras públicas e urbanismo, em parceria com a KorAngola, para se evitar anomalias na comercialização de residências.

Dos dois mil e 784 apartamentos existentes na centralidade "Horizonte do Cuito", mil 391 residências serão para funcionários públicos e mil e 393 para o público em geral.

Já no Andulo, estão terminadas 172 apartamentos, dos mil previstos, serão comercializados através da renda resolúvel, arrendamento e pronto pagamento.

O processo de comercialização dos apartamentos nas centralidades do Cuito e Andulo (Bié) decorre desde Abril deste ano. O arrendamento está estipulado no valor de 12 mil Kwanzas/mês, renda resolúvel por 39 mil kwanzas, e para a compra o cidadão deve pagar 50 porcento do valor, numa primeira fase.

No total, as casas estão orçadas em 12 milhões de kwanzas, para pagar num prazo de 25 anos, porém, o morador vai responsabilizar-se das taxas de saneamento, energia eléctrica, água potável, entre outros serviços disponíveis no local.

Leia também