Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Julho de 2017 | 16h11 - Actualizado em 14 Julho de 2017 | 16h14

Angola: Empresários devem criar projectos viáveis para atrair crédito do Exim-Bank-Índia

Luanda - Os empresários angolanos devem criar projectos viáveis que satisfaçam os requisitos exigidos pela linha de crédito do Banco de Exportações e Importações da Índia (Exim-Bank-Índia), para acederem ao financiamento, defendeu hoje, sexta-feira, em Luanda, o presidente da Associação Angolana de Bancos (ABANC), Amílcar Silva.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Participantes do fórum económico sobre as linhas de crédito do Exim-Bank-Índia

Foto: Clemente dos Santos

Os empresários angolanos devem criar projectos viáveis para satisfazer as garantias, carta de crédito e capacidade para cumprir os actos de pagamento exigidos pela linha de crédito do Banco de Exportações e Importações da Índia (Exim-Bank-Índia), defendeu hoje, sexta-feira, em Luanda, o presidente da Associação Angolana de Bancos (ABANC), Amílcar Silva. Em declarações à imprensa, no fórum económico Angola - Índia, que se realizou hoje sob o lema "Linhas de crédito do exim-bank para o apoio ao empresariado nacional”, sublinhou que as parcerias poderão contribuir grandemente para diversificar da economia nacional.

Disse que os empresários que pretendam buscar frutos da linha de financiamento, a médio, curto e longo prazo, devem trabalhar bancos angolanos para evitarem problemas e para poderem estar atentos às exigências das legislações de Angola e da Índia.

Esclareceu que a linha de crédito não aumenta a capacidade de importar, mas antecipa. “A índia tem capacidade para exportar produtos adaptáveis ao país a bons preços e com qualidade”, referiu.  

Por sua vez, o administrador da Agência para Promoção de Investimento e Exportações de Angola (APIEX), Mário Leonel, disse, ao intervir no evento, que o momento actual que o país enfrenta é adequado para garantir um ambiente próprio para a implementação da política do investimento privado, traçada pelo Executivo angolano, designadamente, garantir a segurança e protecção do investimento privado, respeito pelas regras do mercado livre, promoção da livre circulação de bens e capitais, respeito e cumprimento dos acordos internacionais.

Recomendou que as oportunidades de parcerias na linha de crédito do Exim-bank -Índia devem obedecer a lei do investimento privado angolano, priorizando sectores como turismo, energia e água, telecomunicação, tecnologias de informação, entre outros.

“Estamos convencidos que os empresários locais estão informados sobre os critérios e os requisitos necessários para acesso à linha de crédito do Exim-bank-India. Sugerimos a criação de mecanismos de facilitação de acesso ao empresariado local”, disse.

O fórum económico sobre as linhas de crédito do Banco de Exportações e Importações da Índia (Exim-Bank-India) foi promovido pela APIEX em parceria com a embaixada da Índia em Angola, visando incrementar as fontes de financiamento para empresas angolanas.

O evento onde participaram empresários dos dois países e representantes dos sectores do comércio, indústria transformadora, processamento e aproveitamento de plástico (reciclagem) visou também proporcionar um ambiente de negócio favorável, no qual os empresários angolanos e indianos possam explorar as possíveis oportunidades comerciais. Dados apontam que "as trocas comerciais entre os dois países atingiram, em 2012/2013, o valor de 7.646.3 milhões de dólares norte-americanos, contra USD 1.286.184 milhões de 2007/2008. A Índia quer melhorar as relações com Angola no sector farmacêutico, de processamento de alimentos, bens de consumo, tecnologias de informação, transportes e infra-estruturas. Em Angola existe uma comunidade com mais de seis mil indianos, dos quais perto de 1.500 trabalham no projecto Angola LNG, outros 1.200 estão nos sectores da construção, sobretudo na fábrica de cimento do Sumbe, no Cuanza Sul. Angola é um dos países africanos que mais oferecem oportunidades de negócios que  interessa aos empresários indianos.

Assuntos Banca   Economia  

Leia também
  • 14/07/2017 14:49:31

    Cuanza Norte: Quiculungo vai colher 80 toneladas de café

    Quiculungo - O município do Quiculungo, província do Cuanza Norte, prevê colher, na presente campanha agrícola 2017/2018, cerca de 80 toneladas de café mabuba, menos 160, em relação a campanha anterior.

  • 14/07/2017 14:29:00

    Angola e França assinam acordos de cooperação e financiamento

    Luanda - Dois acordos, um dos quais de autorização de estabelecimento da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) em Angola e outro de financiamento de projectos ligados ao sector das águas, foram assinados hoje, sexta-feira, em Luanda,

  • 14/07/2017 13:38:30

    Huíla: BFA convida empresários da Matala ao crédito

    Matala - As empresas do município da Matala, província da Huíla, que pretendam se candidatar a um financiamento do Banco de Fomento Angola (BFA), devem apresentar projectos exequíveis, que permitam o rápido reembolso do montante.