Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Julho de 2017 | 19h37 - Actualizado em 14 Julho de 2017 | 19h46

MPLA propõe redução de impostos para atrair investidores

Luanda - A criação de mais incentivos fiscais, como a redução de impostos, para atrair as empresas a investir nas localidades mais necessitadas do país, será uma das medidas económicas que o MPLA conta implementar no seu plano de governo, caso vença as eleições gerais de Agosto próximo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

João Lourenço fala à imprensa nacional em entrevista colectiva

Foto: Pedro Parente

O anúncio foi feito nesta sexta-feira pelo candidato do partido a Presidente da República, João Lourenço, para quem as assimetrias regionais não podem ser reduzidas ou eliminadas com decretos.

Segundo o candidato, que falava em entrevista colectiva à imprensa, é preciso criar mais incentivos, sobretudo fiscais, que cativem os investimentos privados para zonas necessitadas.

Reconheceu que a política de redução dos impostos representa menos arrecadação de receitais fiscais para o país, mas entende que, por esta via, o Estado terá outros ganhos, como a melhoria das condições sociais das populações ali onde forem implantados os projectos, com a criação de postos de trabalho.

Para João Lourenço, a criação de empregos, quer no sector público, quer no privado, constitui um ganho para qualquer governo, porque o desemprego é um problema muito sério e se as taxas forem altas a responsabilidade primária recaí sobre o Estado.

Com a política de incentivos fiscais, o candidato entende que será melhorado o ambiente de negócio, que permitirá a "proliferação" de micro, pequenas, médias e grandes empresas, que poderão resolver a problemática de emprego para os jovens e também o consequente aumento da oferta de bens e serviços.

Reconheceu o peso da função pública e do sector público na geração de postos de trabalhos e assegurou que continuarão a ser admitidos jovens em busca do primeiro emprego, mas enfatizou que a chave para resolução do problema do desemprego no país está no fomento do empresariado nacional privado.

O candidato do MPLA a Presidente da República esteve, de Fevereiro a Julho, envolvido na campanha da sua apresentação junto dos militantes, amigos e simpatizantes do partido.

As eleições gerais de 23 Agosto, as quartas da história do país, contarão com cinco partidos políticos (MPLA, UNITA, PRS, FNLA e Aliança Patriótica) e uma coligação (CASA-CE).

Assuntos Economia  

Leia também
  • 05/02/2019 19:14:15

    Angola quer ajuda francesa para edificar economia forte

    Luanda - O Executivo angolano está a contar com ajuda do Governo francês para a edificação no País de uma economia forte, menos dependente do petróleo, competitiva e capaz de gerar prosperidade.

  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.