Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Outubro de 2017 | 12h06 - Actualizado em 12 Outubro de 2017 | 12h04

Cuanza Norte: Aposta na formação agrónomos para alavancar agricultura

Ndalatando - A formação acelerada de técnicos agrários é fundamental nesta fase em que o Governo pretende alavancar o sector da agricultura no país, declarou nesta quarta-feira o vice-governador do Cuanza Norte para o sector político e social, José Alberto Quipungo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cuanza Norte: Vice-governador provincial para o sector político e social, José Alberto Quipungo

Foto: Edilson Lourenço

Na visão do responsável, a aposta dos institutos na formação de técnicos médios agrários contribuirá para o desenvolvimento da actividade agro-pecuária na região.

Alberto Quipungo,  que falava no encerramento da IV jornadas técnico-científicas, do Instituto Médio Agrário do Cuanza Norte, decorridas de terça e quarta-feiras considera agricultura como umas das alternativas para diversificação da economia e à redução das importações de bens alimentares.

Por este facto, disse o Executivo angolano tem-se engajado na formação de técnicos agrários, para que de forma célere possam dar resposta às necessidades do sector agrícola.

Durante dois dias, os participantes ao certame debateram temas como “A biodiversidade (perda, consequência e mitigação), “Criação e manejo das aves poedeiras”, “Métodos de propagação vegetal”, “Planeamento de arborização do IMA”, “Potencialidades e limitações no acesso à mecanização pelos agricultores familiares no Cuanza Norte”, bem como a “Influências da rega sobre o meio ambiental”.

O “Impacto socioeconómico do vírus top-em-leque sobre a produção da banana na região”, “Proposta de produção de culturas históricas a partir de tecnologias”, “Alimentação de Galinhas” foram, entre outros, temas debatidos.

A instituição ministra actualmente os cursos médios de produção vegetal, recursos florestais e produção animal e tem matriculado neste ano lectivo mais de 500 alunos.

A instituição comporta 17 salas de aulas, cinco laboratórios devidamente equipados, uma sala de informática, oficinas de mecânica, biblioteca, enfermaria, área administrativa, entre outras dependências.

Um internato com capacidade para mais de 200 alunos e um anfiteatro de 160 lugares, assim como uma área residencial com 27 casas destinadas a acomodar os gestores e professores integram a infra-estrutura escolar.

 

Leia também