Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

31 Outubro de 2017 | 15h59 - Actualizado em 31 Outubro de 2017 | 15h58

Ministério das Pescas aposta nas condições higiénicas do mar

Luanda - A formação da mentalidade da população sobre as condições higiénicas nos recintos pesqueiros e comerciais constitui uma das grandes apostas do Ministério das Pescas e do Mar para que o peixe seja consumido de forma saudável, disse nesta terça feira em Luanda a titular da pasta Victória de Barros Neto.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra das Pescas e do Mar, Victória de Barros Neto

Foto: Gaspar dos Santos

Na apresentação do plano de gestão ambiental do Porto Pesqueiro de Luanda, a governante alertou para uma responsabilidade acrescida na preservação da gestão ambiental marítima através de um tratamento adequado e diário daqueles que têm o mar como a sua fonte de sustento.

A ministra advertiu, sendo o peixe um recurso natural de todos os angolanos, os armadores que têm licença de pesca a terem, igualmente, a responsabilidade de cuidar daquilo que lhes dá riqueza.

Disse haver um trabalho da parte do Ministério das Pescas e do Mar sobre o peixe em termos de logística e distribuição e espera o apoio do sector privado e dos departamentos governamentais, onde se inclui também o Ministério do Comércio.

Disse pretender que se efective o plano geral de gestão de resíduos sólidos do Porto Pesqueiro de Luanda, assim como a sua extensão em outros recintos portuário do país, tanto pesqueiro, quanto comercial.

Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração da empresa Portuária de Pesca de Angola (Pescangola), Sebastião Macunge, disse que o Porto Pesqueiro, no que toca à água e o ar circunvizinho, tem contaminações causadoras de bactérias na atmosfera e uma prevenção ambiental imediata vai impedir a contaminação do peixe e a ameaça à saúde  humana.

Para o sócio e gerente da Ecosel, empresa especializada na recolha de resíduos sólidos, Brás da Silva, recomendou a formação de todo o pessoal da Pescangola, um saneamento básico adequado, consubstanciado em tratar os resíduos sólidos nos recintos portuários, entre outras medidas.

O plano de gestão ambiental do Porto Pesqueiro de Luanda,  com uma execução prevista para o ano 2018, é um estudo da Ecosel, empresa especializada na recolha de resíduos sólidos, em parceria com o Pescangola, empresa que gere o Porto Pesqueiro de Luanda.

Assuntos Economia   Pesca  

Leia também
  • 31/10/2017 14:22:06

    Cultura da Poupança em Angola ainda é fraca

    Mbanza Kongo - O coordenador das actividades da semana da poupança promovida pelo Banco Nacional de Angola(BNA), João Manuel Nzango, admitiu hoje, terça-feira, em Mbanza Kongo, província do Zaire, haver ainda fraca cultura de fazer poupanças entre os angolanos.

  • 31/10/2017 03:12:27

    Malanje: Famílias devem cultivar o hábito de economizar para melhor planificar

    Malanje - O delegado regional do BNA em Malanje, José Baptista, realçou a importância das famílias cultivarem o hábito de poupar, de modo a planificar melhor o seu futuro e ter um fundo onde recorrer para dar resposta à qualquer situação.

  • 31/10/2017 02:10:37

    Angola: Venda de divisas volta a fixar-se em níveis baixos

    Luanda - O Banco Nacional de Angola vendeu, nos últimos sete dias, 74,5 milhões de Euros ao sistema financeiro (equivalente a USD 83,2 milhões), contra 226,3 milhões de Euros do período anterior.