Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Janeiro de 2018 | 17h49 - Actualizado em 12 Janeiro de 2018 | 17h49

Consórcio Chinês quer investir no sector agro-industrial

Lubango - O consórcio chinês, Citic e H&S pretende investir nos próximos meses em projectos de abastecimento de água e planos agro-industriais na província da Huíla, informou nesta quinta-feira, na cidade do Lubango o seu presidente, John Zheng.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O empresário falava numa reunião com o governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, com a participação do empresariado local, bem como das direcções provinciais de Geologia e Minas, Agricultura, Pecuária, Pescas e Desenvolvimento Florestal, Energia e Águas e representações do Turismo.

Mesmo sem adiantar o valor a investir na província, John Zheng manifestou o interesse em participar no plano de desenvolvimento da região, com  projectos de água, numa parceria público privada local.

“Na agricultura, indústria e minas também temos grande interesse. O consórcio pode através do seu fundo próprio fazer nascer uma siderurgia”, disse.

Declarou que a criação de uma comissão para estudos entre o governo local e o consórcio para se verificar o terreno e potencia-los para possíveis financiamentos é o passo que se segue.

“Queremos igualmente ter a possibilidade do consórcio participar no plano de desenvolvimento que o Estado assumiu, no investimento público durante os cinco anos”, referiu.

Por sua vez, o governador da Huíla, Marcelino Tyipinge, enalteceu a disponibilidade do consórcio em financiar projectos  sociais na província, afirmando estarem disponíveis para qualquer investimento com a finalidade de atender as necessidades da população.

“Os nossos empresários são dedicados, mas muita vezes faltam recursos ou o conhecimento nas várias áreas de tecnologia que precisamos e vocês têm”, disse.

A Citic Construction em Angola, subsidiária do grupo chinês com sede em Pequim CITIC é a maior empresa de construção civil estatal da China.

Há10 anos no país, participou na edificação de casas nas centralidades do Kilamba e Zango em Luanda, no Namibe e no Lubango com o projecto das oito mil casas habitacionais.

Já a H&S é a maior empresa privada na China, em Angola actua nos sectores da construção civil e imobiliário, na área comercial e logística, agricultura e indústria.

Leia também
  • 01/11/2018 18:09:54

    Economia quer valorizar mulher rural

    Lubango - A mulher rural deve ser mais valorizada, por ser o pivô da agricultura familiar e o agente da geração de rendimento colectivo, considerou hoje, no Lubango, o ministro da Economia e do Planeamento, Pedro Luís da Fonseca.

  • 01/11/2018 17:51:34

    "Triângulo do milho" mais valorizado pelo Executivo

    Lubango - Os municípios de Caconda, Caluquembe, Chicomba, Chipindo e Quipungo, regiões que compreendem o chamado "triângulo do milho", na província da Huíla, terão maior atenção do Executivo, por representar mais de 50% da produção de cereais em Angola, afirmou hoje, no Lubango, o secretário de Estado da Agricultura, Carlos Alberto Jaime.

  • 01/11/2018 17:43:18

    Jardins da Yoba produz 25 toneladas de milho híbrido

    Lubango - A empresa agro-industrial "Jardins da Yoba", situada no município da Chibia, na província da Huíla, prevê nos próximos 120 dias colher 25 toneladas de sementes de milho híbrido, que poderão ser lançadas à terra de forma experimental por agricultores em vários pontos do país, informou, hoje, no Lubango, o seu director de produção, João Saraiva.

  • 01/11/2018 13:36:35

    Associações de mulheres camponesas beneficiam de charruas

    Lubango - Treze charruas e seus acessórios, assim como outros inputs agrícolas, foram entregues pela administração do Lubango a duas associações de mulheres camponesas na comuna da Huíla, província com o mesmo nome, no âmbito do fomento da agricultura, combate à forme e redução da pobreza.