Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

09 Fevereiro de 2018 | 12h41 - Actualizado em 09 Fevereiro de 2018 | 12h40

Retidos 793 metros cúbicos de madeira no Cuanza Norte

Ndalatando - Trinta e dois camiões carregados com 793 metros cúbicos de madeira em toro encontram-se, desde 1 de Fevereiro, retidos na província do Cuanza Norte, em função da suspensão de toda actividade de exploração e transporte de madeira em toro e serrada, referente à campanha Florestal de 2017, que encerrou dia 31 de Janeiro.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cuanza Norte: Camões carregados com e madeira retidos em Ndalatando

Foto: Estevão Manuel

Em declarações à imprensa, nesta sexta-feira, em Ndalatando, o responsável do Departamento do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) no Cuanza Norte, Rosário Jacinto Lopes, Teixeira referiu que os camiões retidos transportavam madeiras em toro provenientes das províncias do Moxico, Cuando Cubango, Lunda Sul e Uíge com destino a Luanda.

Rosário Jacinto Lopes Teixeira frisou que as viaturas estão retidas nos municípios de Lucala, Cambambe e Cazengo (Ndalatando), capital da província.

Considerou que a província do Cuanza Norte beneficiou no ano florestal 2017 de uma cota para exploração de 15 mil metros cúbicos de madeira, tendo o IDF licenciado três concessionários que procederam ao corte de 4.500 metros cúbicos de madeira em toro, registando-se um défice de exploração de quase onze mil metros cúbicos.

O responsável indicou, sem avançar valores, a aplicação em 2017, pelo IDF de 27 multas na província, a cidadãos nacionais por transgressões a legislação florestal e exploração ilícita de diversos bens florestais, tendo demonstrado ainda maior preocupação com os níveis acentuados de caça furtiva na região.

O reduzido número de fiscais, associado a falta de meios de trabalho, segundo Rosário Teixeira têm dificultado as acções de fiscalização do IDF na província.

O Governo angolano proibiu, a partir de 1 de Fevereiro, em todo o território nacional, o corte, a circulação e a transportação de madeira em toro e serrada.

Segundo um comunicado distribuído à imprensa, o Ministério da Agricultura e Florestas determinou igualmente a cessação da campanha de exploração florestal iniciada em 2017.

O incumprimento da proibição por parte dos operadores do sector florestal leva à apreensão e confisco, a favor do Estado, do produto e dos meios e equipamentos utilizados na sua transportação, além do pagamento de multas e a não renovação da licença, segundo o Ministério da Agricultura e Florestas.


 

Leia também
  • 08/11/2018 16:55:53

    Moxico acena para investidor sul africano

    Luena - O governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba convidou nesta quarta - feira, no Luena, os empresários sul africanos a investirem em diversas áreas desta região, para contribuir no seu desenvolvimento sócio económico.

  • 05/11/2018 19:15:13

    Autoridades encerram mina ilegal de diamantes

    Cangamba - Uma mina de diamantes explorada de forma ilegal no rio Cussive, comuna do Muié, município dos Luchazes, foi encerrada hoje pelas autoridades governamentais da província do Moxico, no âmbito da " Operação "Transparência" em curso no país.

  • 05/11/2018 19:01:08

    Empresas aliciam sobas para permitir exploração ilegal de madeira

    Uíge - O administrador municipal em exercício de Ambuila, Geraldo Domingos Dendo, denunciou hoje a existência de empresas que aliciam as autoridades tradicionais fazendo falsas promessas para permitir a exploração ilegal de madeira na localidade.

  • 05/11/2018 12:48:21

    Camponeses de Nacatenga recebem inputs agrícolas

    Saurimo - Vários "inputs agrícolas" e sementes, como sementes de milho, adubos, enxadas, catanas e outros meios, foram entregues domingo, na aldeia do Nacatenga, 20 quilómetros da comuna do Muriege, município do Muconda (Lunda Sul), com vista a aumentar a produção.