Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

30 Novembro de 2018 | 08h39 - Actualizado em 03 Dezembro de 2018 | 12h54

Empresas podem repatriar até USD 5 milhões sem licenciamento do BNA

Luanda - As empresas estrangeiras que operam no país podem repatriar dividendos até ao valor de 5 milhões de dólares resultantes das suas actividades, sem o licenciamento do Banco Nacional de Angola (BNA), anunciou José de Lima Massano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

José de Lima Massano, Governador do Banco Nacional de Angola

Foto: Antonio Escrivao

Archer Mangueira, Ministro das Finanças

Foto: Antonio Escrivao

Ao falar nesta quinta-feira em conferência de imprensa, que serviu para apresentar o balanço do 3º trimestre do Programa de Estabilização Macroeconómica 2018, Lima Massano disse existir apenas um caso de repatriamento de dividendos que envolveu a intervenção directa do BNA, que estabeleceu um calendário para a transferência dos mesmos, tendo em conta a magnitude dos valores envolvidos.

Apesar das melhorias já registadas nas operações sobre divisas que envolve empresas, bancos comerciais e o Banco Central, disse que o BNA está a rever as normas para conferir maior facilidade e segurança.

A este respeito, o governador referiu que o BNA tem estado a fazer um acompanhamento com grande rigor da acção dos bancos comerciais em relação a disponibilização de divisas aos operadores económicos.

“Temos estado a fazer vendas com maior regularidade, e  para Novembro, por exemplo, disponibilizamos 850 milhões de dólares para que as operações possam ser efectuadas com menor dificuldade”, explicou.

Na conferência de imprensa, o ministro das Finanças, Archer Mangueira, disse que o Governo poderá fazer ajustamentos pontuais na Pauta Aduaneira que entrou em vigor em Agosto último, com vista a proteger a produção nacional e fomentar as exportações.

Por sua vez, o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, lembrou que, entre 2016 e 2017, o país conheceu uma recessão com taxas negativas ao redor de dois por cento.

Para este ano de 2018, prevê-se uma ligeira recuperação da economia com uma taxa negativa que poderá se situar entre (-0,1) a (-1,1) por cento), quando as previsões para 2019 apontam uma recuperação, com crescimento de 2,8 por cento.

Assuntos Banco   Economia  

Leia também
  • 02/12/2018 22:32:17

    Director nacional exorta jovens da Matala a apostar no empreendedorismo

    Matala - A aposta da juventude no empreendedorismo com vista a contribuir para o desenvolvimento económico e social do município da Matala, província da Huíla, é fundamental, afirmou sábado, o director nacional do Departamento para as Políticas da Juventude, Kikas Machado.

  • 02/12/2018 21:11:21

    Seminário sobre Empreendedorismo inicia na segunda-feira

    Luanda - O Ministério do Comércio realiza, em parceria com a União Europeia, de 3 a 8 deste mês, em Luanda, um worshop de formação sobre Empreendedorismo.

  • 02/12/2018 15:51:16

    Huíla: Itália apoia Angola na criação de produção agrícola protegida

    Lubango - A Itália está disponível a ajudar Angola a criar produções agrícolas protegidas, o que fará com que as culturas tradicionais angolanas se efectivem e sirvam de cartaz no processo de produção nacional, afirmou no Lubango, o embaixador da Itália em Angola, Claudio Miscia.

  • 01/12/2018 06:43:50

    Baixa das Reservas internacionais entre 2016 e 2017, destaque económico

    Luanda - As revelações segundo as quais, as Reservas Internacionais Líquidas (RIL) de Angola baixaram 7,3 mil milhões de dólares, no período de um ano, ao passar de USD 20,8 mil milhões para 13,5 mil milhões de dólares entre Dezembro de 2016 e Dezembro de 2017, constitui matéria de capa do noticiário económico da semana.