Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Março de 2018 | 16h31 - Actualizado em 14 Março de 2018 | 16h30

Hidroeléctrica de Luachimo quadruplica produção

Dundo - O Aproveitamento Hidroeléctrico do Luachimo, na província da Lunda Norte, prepara-se para quadruplicar a sua capacidade de produção de energia nos próximos dois anos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente da República, Joao Lourenço (o 2º da dir. à esq.), visita Barragem de Luachimo

Foto: Francisco Miudo

A central eléctrica terá quatro turbinas, cada uma com capacidade de 8,5 megawatts (MW), perfazendo 34 MW, contra a anterior 8 MW.

Essa meta deverá ser alcançada no quadro das obras de ampliação e modernização iniciadas em Maio de 2017, afirmou o responsável do projecto pelo Gabinete de Aproveitamento do Médio Kwanza (Gamek), Joaquim Garcia.

Para se inteirar do andamento da obra, que prevê beneficiar mais de dez mil e 600 famílias, o Presidente da República, João Lourenço, esteve no local, apesar do intenso chuvisco.

“Estamos com uma execução geral da obra na ordem de 19 porcento”, afirmou Joaquim Garcia à imprensa, à margem da visita do Titular do Poder Executivo que está na Lunda Norte desde a manhã de hoje, quarta-feira.

Estima-se que a cidade do Dundo tenha uma necessidade de consumo de energia eléctrica abaixo dos 17 MW.

A execução da obra envolve uma mão de obra de mais de 250 trabalhadores.

A construção da barragem hidroeléctrica de Luachimo data de 1950. Entrou em funcionamento em 1957.

Durante a jornada de campo no Dundo, capital da Lunda Norte, o Presidente João Lourenço  tomou contacto com o sistema de tratamento de águas.

Trata-se da Estação de Tratamento de águas da centralidade do Mussungue.

Mereceram também a atenção de João Lourenço as obras do pavilhão multiusos e a Fazenda agro-pecuária Cacanda.

No sector da saúde, o Presidente da República tomou contacto com o Centro de Diagnóstico do Dundo, que aguarda por apetrechamento, e com o Hospital Provincial Materno-Infantil.

Neste último, a novidade é um centro de fertilidade masculino e feminino. A ideia é que se torne numa referência no país nessa especialidade.

Para reforçar a capacidade de resposta dos hospitais municipais, o Presidente ofereceu algumas viaturas, num total de dez.

Na jornada de campo de três horas e meia, João Lourenço visitou também a Escola de Formação de Técnicos de Saúde.

Trata-se de uma unidade em construção que está projectada para ter 19 salas de aulas, cinco laboratórios e internato para 120 alunos.  

Ainda hoje, o Chefe de Estado deverá reunir-se com o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, e respectiva equipa de trabalho.

Leia também
  • 31/10/2018 15:21:40

    Camponeses pedem mais apoios para mecanizar actividade

    Cambulo - Vinte e duas mil famílias camponesas, inseridas em 91 associações, 19 cooperativas agro-pecuárias e a 33 pequenos agricultores, solicitaram terça-feira, no município de Cambulo, na Lunda Norte, mais apoios do sector para prática de uma agricultura mecanizada, visando o aumento da produção.

  • 15/10/2018 18:03:31

    Angola: Potência energética chega a 4.409 MW

    Luanda - O sector eléctrico nacional está a poupar, desde 2017, um total de 669 mil litros de gasóleo/dia, com a entrada em operação de novas centrais hídricas. Isso permitiu ao país ter, actualmente, uma capacidade instalada de quatro mil e 409 Megawatts (MW).

  • 15/10/2018 14:41:27

    Visto de investidor entra em vigor em 2019

    Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, afirmou hoje, em Luanda, que o visto de investidor, que entra em vigor em 2019, contribuirá significativamente para o aumento do investimento estrangeiro em Angola.

  • 15/10/2018 14:38:11

    Défice fiscal pode chegar a 1 por cento em 2019

    Luanda - A economia angolana poderá registar, em 2019, um défice fiscal igual ou inferior a um por cento do PIB e um aumento das receitas fiscais na ordem de 9,8 por cento, projectou, nesta segunda-feira, o Presidente da República, João Lourenço.