Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Março de 2018 | 14h05 - Actualizado em 14 Março de 2018 | 14h45

Reaberto supermercado da Shoprite de Cacuaco

Cacuaco - O Supermercado da Shoprite, encerrado pela Administração de Cacuaco no princípio de Março, por comercializar produtos alimentares expirados, falta de higiene e ventilação no armazém, foi reaberto na terça-feira (13), depois de satisfazer as exigências da direcção municipal do comércio.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Produtos da Shoprite

Foto: Henri Celso

Durante um encontro com jornalistas, o director municipal do comércio, Cremildo Eduardo confirmou que a loja da Shoprite, da vila de Cacuaco, foi reaberta depois de reabilitado o armazém, colocação de um novo pavimento e aspiradores, remodelação das prateleiras e dos sanitários com ventilação própria, bem como da retirada dos produtos fora do prazo de consumo.

Alguns clientes disseram à Angop que estão satisfeitos com a reabertura do estabelecimento comercial, bem como das medidas tomadas pela administração municipal para garantir melhor atendimento e produtos com qualidade no estabelecimento.

Em Angola desde 2004, o grupo Shoprite conta com 29 lojas e emprega mais de três mil e 400 trabalhadores, constituindo actualmente o mercado mais importante fora da África do Sul, com 50 porcento das vendas.

À margem da apresentação dos resultados provisórios do Grupo Shoprite para o último trimestre de 2017, o director executivo, Pieter Engelbrechet, destacou recentemente o desempenho das lojas angolanas.

Em entrevista ao portal sul-africano Business Live, o responsável explicou que a quebra 6,4 por cento nas vendas fora da África do Sul, verificada nesse período traduz o abrandamento verificado em Angola.

Ainda assim, o mercado angolano continua a ser o principal na região (representa 50 por cento das vendas), sublinhou Pieter lembrando que em Angola uma loja mediana vende quatro vezes mais champagne do que uma unidade igualmente mediana da Checkers- segmento do grupo especializado nas classes mais altas.

Ainda em relação em Angola, salientou o desempenho dos anos anteriores. “Crescemos mais de 100 por cento durante dois anos seguidos, pelo que a redução nas vendas é como uma correcção”, disse.

Recorde-se que a popularidade da Shoprite junto dos angolanos disparou em 2016.

Durante os últimos seis meses de 2016, a base de clientes dos 29 supermercados em Angola cresceu 70 porcento, disse a empresa em comunicado em Fevereiro de 2017.  

Além do alargamento da carteira de clientes, o maior retalhista da África do Sul adiantou que nesta altura as vendas em Angola dispararam 155 porcento.

                                                        

Leia também