Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Abril de 2018 | 14h42 - Actualizado em 15 Abril de 2018 | 14h04

Angola precisa de três veterinários em cada município

Luanda - Três médicos veterinários, por cada município, é a média que se precisa para responder às necessidades sanitárias da agro-pecuária no país e garantir a saúde dos animais.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Medicação para os animais deve ser receitado pelo médico veterinário

Foto: HÉLDER DIAS

Medicação para os animais deve ser receitado pelo médico veterinário

Foto: BARTOLOMEU DO NASCIMENTO

A afirmação é do director nacional adjunto para área técnica do Instituto dos Serviços de Veterinária, Edgar Dombolo, que apontou a existência de pelo menos cem médicos veterinários a exercerem a profissão em todo país, número que ainda não satisfaz a demanda do sector agro-pecuário.

O responsável, que falava à imprensa, à margem da assembleia-geral ordinária da Ordem dos Médicos Veterinários de Angola (OMVA), realizada este sábado, em Luanda, referiu que maior parte do número de veterinários trabalha na capital do país, facto que deixa muitas províncias sem técnicos suficientes para atender a demanda.

Diante deste cenário, o também veterinário de profissão defendeu a necessidade de se criar mais instituições de ensino médio e superior de veterinária para formar especialistas que possam responder às necessidades dos criadores de animais, tendo em conta a aposta que se regista no sector agro-pecuário.

Quanto ao uso indiscriminado da medicação, sem a prescrição médica do técnico veterinário, Edgar Dombolo revelou que esta situação tem provocado uma resistência de bactérias no organismo dos animais, que consequentemente pode afectar a saúde das pessoas que consomem a carne destes animais.

Segundo ele, dentro do grupo de medicamentos ou fármacos utilizados pelos veterinários, "infelizmente são também comercializados em farmácias de medicamentos humanos".

Para evitar a auto-medicação aos animais, o Instituto dos Serviços de Veterinária tem trabalhado na sensibilização dos criadores dos animais para o uso correcto e responsável dos medicamentos veterinários.

Actualmente, o país possui apenas uma faculdade de Medicina Veterinária, localizada na província do Huambo.

Por outro lado, a bastonária da Ordem dos Médicos Veterinários de Angola, Maria Antonieta Baptista,defendeu a necessidade de se melhorar as políticas públicas de contrataçaõ de médicos do sector e incentivou os especialistas que ainda não estão exercer a profissão, por falta de oportunidade, a criarem cooperativas ou apostarem no empreendedorismo, tendo em conta o processo de diversificação económica do país..

Apelou também os filiados a honrarem com os seus compromissos na ordem, que passam essencialmente no pagamento das quotas e atendimento das necessidades dos criadores de animais.  

Além do número de veterinários (menos de cem) que servem o país, a Ordem dos Veterinários de Angola controla mais de 300 médicos, que trabalham em diferentes áreas das instituições públicas e privadas.

Assuntos como apreciação e aprovação das actas das assembleias regionais, aprovação do relatório de contas de 2017, o balanço das actividades realizadas no ano passado, assim como a homologação do orçamento para 2018 dominaram o encontro que juntou especialistas e técnicos veterinários de todo país.

Na ocasião, os participantes reiteraram a realização do IV Congresso angolano de medicina veterinária, a decorrer de 17 a 21 de Outubro de 2018, na província do Huambo, que terá como lema "A importância do médico veterinário na economia e na saúde pública".

Assuntos Agricultura   Economia  

Leia também
  • 05/02/2019 19:14:15

    Angola quer ajuda francesa para edificar economia forte

    Luanda - O Executivo angolano está a contar com ajuda do Governo francês para a edificação no País de uma economia forte, menos dependente do petróleo, competitiva e capaz de gerar prosperidade.

  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 12:56:57

    Huíla: Caluquembe necessita de mais 50 técnicos agrícolas

    Caluquembe - O município de Caluquembe, a cerca de 193 quilómetros a norte do Lubango, província da Huíla, precisa de pelo menos 50 técnicos agrícolas para dar resposta às 225 associações e 50 cooperativas de camponeses nas comunas da Sede, Calepi e N'gola, que compreendem a circunscrição.

  • 02/02/2019 10:08:20

    Huíla: Caluquembe colhe 15 toneladas de café arábico em 2018

    Caluquembe - Quinze toneladas de café arábico foram colhidas no ano agrícola de 2018 no município de Caluquembe, província da Huíla, registando um aumento de mais sete toneladas em relação a 2017, anunciou hoje (sábado) o director local da Agricultura, Pecuária e Pescas, Eliseu José.