Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

13 Junho de 2018 | 17h52 - Actualizado em 13 Junho de 2018 | 18h32

Biocom produz 15% do açúcar previsto

Malanje - A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), no município de Cacuso, província de Malanje, já produziu 15 mil das 100 mil toneladas de açúcar previstas para este ano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Malanje: Açúcar Kapanda produzido pela BIOCOM (arquivo)

Foto: joaquina Bento

Essa produção da única companhia de açúcar do país começa a ser comercializada aos agentes económicos do município de Cacuso, para potenciar o comércio retalhista e expansão do produto, segundo o director adjunto da companhia, Luís Bagorro.

O gestor, que falava hoje num encontro com operadores económicos de Malanje, disse que será desenvolvida uma campanha de divulgação da qualidade do açúcar e a venda poderá se estender aos empresários de outras províncias do país, associados ao projecto Biocom aos preços de AKZ 7 mil e 500 e 7 mil e 800 kwanzas o saco de 50 kg.

Os comerciais elogiaram a iniciativa da Biocom em vender localmente o açúcar, pois abre oportunidades a todos os agentes económicos e fomenta o crescimento da economia, geração de receitas e o emprego para a juventude.

O açúcar da Biocom, denominado Kapanda, começou a ser comercializado em 2016.

Em 2017,  a companhia previa produzir 63 mil toneladas, mas acabou por atingir apenas 58 mil e 102 toneladas de açúcar, devido a problemas de seca e avaria de um dos motores das linhas de processamento.

A Biocom é um projecto inserido no Pólo Agro-Industrial de Capanda, numa parceria entre o Estado angolano investidores privados, destinado a produzir, além do açúcar, energia eléctrica e etanol, visando abastecer o mercado nacional e reduzir a importação.

O projecto está implantado numa área  de 81 mil e 201 hectares, dos quais 11 mil e 55 estão reservados  à preservação da fauna e flora, 70 mil e 102 mil hectares virados à produção agrícola, prevendo até 2022, data da sua maturidade, atingir a produção de 256 mil toneladas de açúcar, contra as actuais 100 mil toneladas previstas .

Leia também
  • 08/11/2018 16:55:53

    Moxico acena para investidor sul africano

    Luena - O governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba convidou nesta quarta - feira, no Luena, os empresários sul africanos a investirem em diversas áreas desta região, para contribuir no seu desenvolvimento sócio económico.

  • 05/11/2018 19:15:13

    Autoridades encerram mina ilegal de diamantes

    Cangamba - Uma mina de diamantes explorada de forma ilegal no rio Cussive, comuna do Muié, município dos Luchazes, foi encerrada hoje pelas autoridades governamentais da província do Moxico, no âmbito da " Operação "Transparência" em curso no país.

  • 05/11/2018 19:01:08

    Empresas aliciam sobas para permitir exploração ilegal de madeira

    Uíge - O administrador municipal em exercício de Ambuila, Geraldo Domingos Dendo, denunciou hoje a existência de empresas que aliciam as autoridades tradicionais fazendo falsas promessas para permitir a exploração ilegal de madeira na localidade.

  • 05/11/2018 12:48:21

    Camponeses de Nacatenga recebem inputs agrícolas

    Saurimo - Vários "inputs agrícolas" e sementes, como sementes de milho, adubos, enxadas, catanas e outros meios, foram entregues domingo, na aldeia do Nacatenga, 20 quilómetros da comuna do Muriege, município do Muconda (Lunda Sul), com vista a aumentar a produção.