Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Junho de 2018 | 19h20 - Actualizado em 13 Junho de 2018 | 11h36

Economia angolana caminha bem, diz FMI

Luanda - O Fundo Monetário Internacional (FMI) apreciou vivamente a política económica que está a ser implementada em Angola pelo governo do Presidente João Lourenço, há oito meses em funções.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Governo está a trabalhar para restabelecer a estabilidade macroeconómica

Foto: Pedro Parente

Numa nota emitida em Washington, resultante do acompanhamento que faz da evolução do estado da economia angolana, a instituição elogia o modo empenhado como o novo Governo está a trabalhar para restabelecer a estabilidade macroeconómica e a implementar reformas.

“Desde a realização das eleições do ano passado, o Governo do Presidente João Lourenço tem estado a implementar políticas com o objectivo de recuperar a estabilidade macroeconómica e melhorar a governação, afastando altos funcionários do antigo Governo, instaurando inquéritos de investigação sobre possíveis apropriações indevidas de fundos de várias instituições públicas, tendo criado, inclusive, uma unidade especializada contra a corrupção”, destaca o FMI na sua avaliação.

A instituição lembra que o baixo preço do petróleo e o modo como era conduzida a política económica antes da entrada em funções da nova equipa governativa colocaram a economia do país sob pressão, referindo que a queda drástica do preço do petróleo (iniciada em meados de 2014) reduziu substancialmente as receitas fiscais e de exportação, travando o crescimento da economia e provocando uma aceleração brusca da inflação.

“Assim sendo, tornou-se imperativa a necessidade de se abordar as vulnerabilidades de forma mais consistente e diversificar a economia sem contar com o petróleo”, assinala o FMI.

Programa de estabilidade macroeconómica

A nota do FMI recorda que o governo lançou o programa de estabilização macroeconómica no início de Janeiro de 2018.

O plano preconiza a consolidação da política orçamental, maior flexibilidade na taxa cambial, reduzindo o rácio da dívida pública do PIB para 60% a médio prazo, melhorar o perfil da dívida através de uma operação de gestão de passivos, liquidação dos pagamentos dos atrasados a nível nacional, garantindo uma implementação efectiva da legislação sobre o branqueamento de capitais.

A propósito, a Assembleia Nacional aprovou um orçamento prudente para 2018 que prevê uma melhoria do saldo orçamental primário petrolífero de 2% do PIB.

Por sua vez, o Banco Nacional de Angola estabeleceu um câmbio flutuante em relação às divisas e aumentou o volume de venda de divisas em leilões regulares contrariamente às vendas directas.

O Banco Nacional está igualmente a proceder à reformulação do seu quadro de política monetária de modo a implementar um regime de metas monetárias.

Pelo crescimento do sector privado da economia

O novo Governo tem feito esforços concertados para melhorar o ambiente de negócios. A Assembleia Nacional aprovou recentemente a Lei da concorrência que introduz um quadro de apoio à concorrência no mercado interno e abordar as práticas monopolistas nos sectores chave, tais como telecomunicações e produção de cimento.

Uma Lei de investimento privado foi também recentemente aprovada pela Assembleia Nacional que remove as barreiras ao investimento directo estrangeiro. O Governo lançou igualmente um programa para diversificar as exportações e substituir as importações.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 15/06/2018 22:02:29

    Destacado impacto do investimento privado na promoção de emprego

    Lucala - A abertura da primeira fábrica de reciclagem de plásticos marca o início da era da diversificação da economia, melhoria da renda das famílias e redução da pobreza na província do Cuanza-Norte, disse esta sexta-feira, o vice-governador local para o sector técnico e infraestruturas, Mendonça Luís.

  • 15/06/2018 18:35:23

    Município do Lucala ganha fábrica de reciclagem de plásticos

    Ndalatando - O município do Lucala, a 37 quilómetros de Ndalatando (capital do Cuanza Norte) conta com uma fábrica de produção e reciclagem de materiais de plástico, inaugurada hoje, sexta-feira, após um ano de funcionamento em regime experimental.

  • 15/06/2018 16:37:40

    Embaixador aborda investimento estrangeiro na Itália

    Roma - O Governo angolano está a criar condições propícias para a diversificação da economia, a fim de atrair investimento estrangeiro e criar empregos, principalmente para jovens, declarou hoje, em Roma, o embaixador de Angola na Itália, Florêncio de Almeida.

  • 14/06/2018 16:27:58

    Norte-americanos pretendem investir no Bié

    Cuito - Uma delegação dos Estados Unidos da América (EUA) visitou nesta quinta-feira a província do Bié, para avaliar as oportunidades de investimentos nos mais variados sectores.