Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

02 Julho de 2018 | 19h15 - Actualizado em 02 Julho de 2018 | 19h15

Ministra das Pescas inaugura três pescarias na Caota

Benguela - A ministra das Pescas e do Mar, Victória de Barros, inaugurou hoje, segunda-feira na localidade da Caota, província de Benguela, três novas pescarias, que vão proporcionar 800 novos postos de trabalho.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Trata-se da pescaria Famihau, Lda, a primeira inaugurada, com capacidade de produção de 80 toneladas/ dia, cujo complexo está apetrechado com quatro câmaras de congelação com capacidade de 20 toneladas cada, 20 câmaras de conservação e de duas mil toneladas cada, duas fábricas de gelo que vão produzir 10 toneladas/dia.

Integra a referida unidade, uma ponte cais e outras facilidades de infraestruturadas de apoio, empregando 80 trabalhadores nacionais e três expatriados.

Seguiu-se a inauguração da Pescaria Fuhaui-Atlântico Lda, um investimentos na ordem de 12 milhões de USD. Tem uma produção mensal de mil e 500 toneladas de pescado/dia.

Conta com tanques de congelação de 20 toneladas cada e uma câmara de conservação de duas mil toneladas. Conta com  139 trabalhadores, dos quais 53 são mulheres.

A terceira inaugurada foi a Pescaria “Guanda Pesca”, considerada como a maior na província de Benguela, ocupa  uma área de 73 mil metros quadros e está apta para exercer a pesca Industrial, a congelação de pescado com capacidade instalada de produção de 600 ton/ mês.

A unidade criou já mais de 400 postos de trabalho  e com perspectiva de serem criados outros 600 postos  directos e  três mil indirectos.

A Guanda Pesca, Lda tem instaladas linhas de processamento com sistema de água refrigeração, oito túneis de congelação com capacidade de 240 toneladas cada, duas câmaras de conservação de 5 mil toneladas e duas câmaras de produção de gelo com capacidade para  30 toneladas/ dia.

Futuramente a empresa prevê a instalação de equipamentos para secagem mecânica de peixe e de um novo estaleiro para a manutenção de embarcações, fazendo ainda parte desta estrutura uma ponte cais.

Na ocasião, a ministra defendeu o surgimentos de parcerias fortes, com os operadores privados, visando assegurar o desenvolvimento,  modernização da indústria do processamento do pescado.

Victória de Barros afirmou que o surgimento destas parcerias poderá ainda contribuir na melhoria da produção e nas condições higiene sanitárias,  para que se possa reduzir as perdas no período pós-capturas.

Segundo a ministra, a implementação destes empreendimentos enquadram-se na política e prioridades do Executivo para o desenvolvimento do sector das Pescas e Mar tendentes a implementação de infra-estruturas em terra que vão permitir a captura para descarga e processamento do pescado em condições adequadas, salvaguardando a colocação no mercado de produtos pescas de boa qualidade que garanta a saúde ao consumidor e o aumento de oportunidades de emprego, principalmente para a juventude e mulheres.

Convidou os empresários a trabalharem em colaboração com as entidades do sector, nomeadamente, a direcção de infra-estruturas e indústrias e com o Instituto Nacional de Apoio à Indústria Pesqueira para orientação, assistência técnica e introdução no Sistemas de auto controlo e de rentabilidade.

“Devemos focar e trabalhar pensando não no abastecimento do mercado local e também no Regional e Internacional, sobretudo para os países vizinhos, apontados como potenciais consumidores de peixe congelado, como também poderão absorver as conservas”, sublinhou.

A responsável alertou a classe empresarial para necessidade de uma particular atenção à produção de conservas nesta circunscrição, tendo em conta as condições e incentivou a aproveitar esse “nicho de negócio".

Por seu lado, o governador provincial, Rui Falcão, afirmou que Benguela ganhou mais três unidades da indústria de pesca que vão contribuir para o desenvolvimento  da economia local e do país, fazendo crescer  a localidade piscatória da Caota.

Salientou que estas unidades garantem mais de 800 empregos, tendo apontando o caminho para tal, trabalhar de forma séria  e responsável, fazendo com que todos os actores respeitem as regras cada um a seu nível.

Leia também
  • 30/01/2019 11:18:42

    Agentes económicos informados sobre programa de apoio à produção nacional

    Ganda - A classe empresarial do município da Ganda, província de Benguela, foi informada, nesta terça-feira, sobre as linhas de orientação para o apoio à produção nacional, cadastramento de produtores, sua localização e espécie de produtos a produzir, assim como o pessoal envolvido no processo.

  • 30/01/2019 11:09:29

    Camponeses da Canjala e Egipto Praia apreensivos por falta de chuva

    Lobito - Os camponeses das comunas da Canjala e do Egipto Praia, interior do município do Lobito, na província de Benguela, mostram-se apreensivos devido à falta de chuva na região, o que poderá comprometer o desenvolvimento da campanha agrícola 2018/2019, apurou hoje a Angop.

  • 28/01/2019 13:31:49

    Benguela: Extensão da rede mercantil nas prioridades do sector do Comércio em 2019

    Benguela - A abertura de um Centro Logístico de Distribuição (Clod) no município da Catumbela, para atender a região Sul do país, e de lojas da rede “Poupa Lá” na cidade da Ganda, constam das prioridades da direcção provincial de Benguela do Comércio, Indústria e Recursos Minerais para este ano.

  • 21/01/2019 19:31:31

    Descapitalização dos agricultores condiciona reactivação de fazendas agrícolas

    Ganda - Das cento e 67 fazendas agrícolas controlados actualmente no município da Ganda (Benguela), apenas seis foram reactivadas, devido a alegada descapitalização dos agricultores, informou hoje, segunda-feira, o director do Gabinete Provincial da Agricultura e Florestas, José Gomes Silva.