Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

11 Julho de 2018 | 18h42 - Actualizado em 11 Julho de 2018 | 18h42

FILDA/2018: Participação sul-africana reforça relações com Angola

Luanda - A participação das empresas sul-africanas na 34ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA/2018), que decorre desde terça-feira, na Zona Económica Especial (ZEE), reforça as relações de cooperação com Angola, declarou o seu embaixador no País, Fannie Mfana Phakolo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

FILDA 2018 :Embaixador da África do Sul em Angola, Fannie Mfana Phakolo

Foto: Gaspar dos Santos

O diplomata,  que visitou na tarde de hoje o pavilhão das empresas  sul-africanas na feira, referiu que  os governos de Angola e da África  Sul têm renovadas  e  reforçadas as relações de cooperação, sobretudo no domínio do comercial e económico.

Com  as  novas leis  sobre  o  Investimento Privado  e  da  Concorrência,  recentemente,  aprovados pelo Executivo, o  diplomata acredita que em Angola se abre uma  nova era,  que permitirá reforçar as relações de cooperação com os demais países.

Ao falar à Angop, o embaixador sul-africano avançou  que muitos   empresários  do seu país  querem abrir  representações em Angola nos mais variados segmentos da actividade económica e augura o mesmo da classe empresarial angolana.

 A  África do Sul participa na  Feira  Internacional de  Luanda com   20  empresas, ligadas  aos ramos de bebidas,  calçados, construção  civil,  engenharia   agricultura e  saúde.

 A 34ª edição da FILDA, aberta terça-feira, conta com a participação de 372 expositores de Angola (país Anfitrião), África do Sul, Espanha, Estados Unidos da América, Gana, Holanda, Índia, Itália, Macau, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suécia, Turquia, Uruguai, Japão e Moçambique, que estão a expor numa área de aproximada de três hectares.

Pelo menos 69 por cento das empresas expositoras desta edição promovida pelo Ministério da Economia e do Planeamento e o grupo eventos Arena são nacionais.

Na feira, que decorre na Zona Económica Especial Luanda Bengo (ZEELB), estão em exposição produtos e serviços dos sectores do ambiente, energia e petróleos, agricultura, pecuária, bebidas, banca e seguros, comércio geral, construção, imobiliária, educação, formação e cultura, hotelaria e turismo, indústria transformadora e extractiva, logística e transportes, máquina e equipamentos, telecomunicações, energia, entre outras.

Assuntos Feira  

Leia também
  • 04/02/2019 13:08:28

    Feira Indaba Mining arranca na Cidade do Cabo

    Luanda - A Feira Internacional de Minas "Indaba Mining", exposição em que Angola participa, iniciou hoje, na cidade do Cabo, África do Sul, com a presença de 200 empresas do sector.

  • 27/12/2018 16:56:14

    Província realiza primeira "Feira da Batata" em 2019

    Chinguar - O governador do Bié, Pereira Alfredo, anunciou hoje, quinta-feira, na vila do Chinguar, 75 quilómetros da cidade do Cuito, a realização o próximo ano da primeira “Feira da Batata”, com vista a contribuir para o aumento de rendimentos económicos das famílias rurais.

  • 17/12/2018 19:31:29

    IATF/2018: Empresas angolanas mobilizam USD 650 milhões

    Cairo - (Do enviado especial) - Seiscentos e cinquenta milhões de dólares é o valor global que as empresas angolanas mobilizaram, para beneficiar nos próximos tempos, fruto do intercâmbio comercial e os acordos assinados na primeira edição da Feira Comercial Intra-africana (IATF/2018).

  • 17/12/2018 15:11:58

    IATF/2018: Feira comercial encerra com volume de negócios de USD 30 mil milhões

    Cairo (Do enviado especial) - O volume de negócios entre empresas que participaram na primeira edição da Feira Comercial Intra-africana (IATF/2018), que encerrou hoje as portas, no Cairo, Egipto, está avaliado em trinta mil milhões de dólares norte-americanos, ultrapassando deste modo as expectativas da União Africana (UA), promotora do evento.