Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

11 Julho de 2018 | 18h42 - Actualizado em 11 Julho de 2018 | 18h42

FILDA/2018: Participação sul-africana reforça relações com Angola

Luanda - A participação das empresas sul-africanas na 34ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA/2018), que decorre desde terça-feira, na Zona Económica Especial (ZEE), reforça as relações de cooperação com Angola, declarou o seu embaixador no País, Fannie Mfana Phakolo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

FILDA 2018 :Embaixador da África do Sul em Angola, Fannie Mfana Phakolo

Foto: Gaspar dos Santos

O diplomata,  que visitou na tarde de hoje o pavilhão das empresas  sul-africanas na feira, referiu que  os governos de Angola e da África  Sul têm renovadas  e  reforçadas as relações de cooperação, sobretudo no domínio do comercial e económico.

Com  as  novas leis  sobre  o  Investimento Privado  e  da  Concorrência,  recentemente,  aprovados pelo Executivo, o  diplomata acredita que em Angola se abre uma  nova era,  que permitirá reforçar as relações de cooperação com os demais países.

Ao falar à Angop, o embaixador sul-africano avançou  que muitos   empresários  do seu país  querem abrir  representações em Angola nos mais variados segmentos da actividade económica e augura o mesmo da classe empresarial angolana.

 A  África do Sul participa na  Feira  Internacional de  Luanda com   20  empresas, ligadas  aos ramos de bebidas,  calçados, construção  civil,  engenharia   agricultura e  saúde.

 A 34ª edição da FILDA, aberta terça-feira, conta com a participação de 372 expositores de Angola (país Anfitrião), África do Sul, Espanha, Estados Unidos da América, Gana, Holanda, Índia, Itália, Macau, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suécia, Turquia, Uruguai, Japão e Moçambique, que estão a expor numa área de aproximada de três hectares.

Pelo menos 69 por cento das empresas expositoras desta edição promovida pelo Ministério da Economia e do Planeamento e o grupo eventos Arena são nacionais.

Na feira, que decorre na Zona Económica Especial Luanda Bengo (ZEELB), estão em exposição produtos e serviços dos sectores do ambiente, energia e petróleos, agricultura, pecuária, bebidas, banca e seguros, comércio geral, construção, imobiliária, educação, formação e cultura, hotelaria e turismo, indústria transformadora e extractiva, logística e transportes, máquina e equipamentos, telecomunicações, energia, entre outras.

Assuntos Feira  

Leia também
  • 12/07/2018 00:01:32

    FILDA/2018: Terceiro dia dedicado ao país anfitrião

    Luanda - Um workshop sobre adesão ao serviço de pagamentos na rede multicaixa, para empresas, e um seminário sobre a Lei do Investimento Privado vão dominar hoje o terceiro dia da 34ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA/2018), dedicado ao país anfitrião.

  • 11/07/2018 20:16:39

    FILDA/2018: Segundo dia marcado pela visita de empresários estrangeiros

    Luanda - A presença de visitantes estrangeiros (empresários não expositores), para contacto de negócios, a apresentação de novos produtos e serviços, assim como a realização de seminários, marcaram o segundo dia de actividade na Feira Internacional de Luanda (FILDA/2018), aberta terça-feira.

  • 11/07/2018 19:04:02

    FILDA/2018: Porto de Luanda investe 680 mil euros em tecnologias

    Luanda - Seiscentos e oitenta mil euros é o valor investido pelo Porto de Luanda, para inovação e tecnologia de informação, com vista a facilitar o acesso dos clientes aos movimentos de mercadorias, contas, entre outros, anunciou o administrador para área comercial e tecnologias, Manuel Zangui.

  • 11/07/2018 18:55:02

    FILDA/2018: Empresa de pesca com foco para aumento das capturas

    Luanda - A empresa de pescado SFT Angola pretende aumentar os seus níveis de captura, de 90 mil para 120 mil toneladas/ano de pescado, anunciou quarta-feira, em Luanda, o seu administrador, António Júnior.