Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

06 Setembro de 2018 | 21h16 - Actualizado em 06 Setembro de 2018 | 21h16

IDREA atinge meta estabelecida para os primeiros seis meses

Huambo - Trezentos e 23 agregados familiares, das zonas urbanas e rurais da província do Huambo, foram inquiridos de Março a Agosto deste ano, no cumprimento do 3º Inquérito de Despesas, Receitas e Emprego em Angola (IDREA), contra os 320 previstos para este mesmo período.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O facto foi confirmado hoje, quinta-feira, à Angop, pelo director local interino do Instituto Nacional de Estatística (INE), Ruben Gomes, referindo que os agregados familiares, que estão inseridos em 36 conglomerados, 16 da zona urbana e 20 da zona rural, foram inquiridos até ao dia 26 de Agosto.

Deu a conhecer que até ao final do processo, em Março de 2019, restam 36 conglomerados, onde serão inquiridos cerca de 317 agregados familiares, perfazendo um total de 640 previstos para a província.

Ruben Gomes admitiu que o IDREA está a decorrer com sucesso, sendo que os principais constrangimentos, que consistiam sobretudo na pouca sensibilidade dos cidadãos das áreas abrangidas em fornecer aos inquiridores os dados necessários, já foram ultrapassados.

Neste momento, informou, decorre o 3º trimestre, no seu primeiro e segundo período, contemplando as localidades de Compão Alto, Calombringo e Cayenje, nos arredores da cidade do Huambo, correspondentes a zona urbana, e as localidades de Calembe e Saviemba, na comuna do Sambo, município da Chicala Cholohanga, Tchikenge, na comuna do Hengue, no município do Bailundo, e Vila Alegre, no município do Mungo, classificadas como zonas rurais.

O IDREA, uma fusão de dois grandes inquéritos, nomeadamente o de Despesas e Receitas e o de Emprego em Angola, é um processo com finalidade de calcular os indicadores sobre a pobreza no país, uma vez que os dados disponíveis sobre a pobreza monetária datam de 2008-2009, altura em que se realizou a última edição, ao passo que a primeiro ocorreu em 2001.

Neste terceiro inquérito pretende-se recolher informações sobre as características sócio-demográficas dos agregados familiares, alguns aspectos de saúde geral, estrutura da receita e do consumo dos agregados familiares.

Com os resultados do inquérito deseja-se obter indicadores de modo a actualizar os dados sobre as condições de vida das famílias, sua situação perante o emprego, o consumo para as contas nacionais e a actualização dos ponderadores do índice de preço no consumidor assim como calcular os indicadores sobre a pobreza em Angola.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também