Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

07 Setembro de 2018 | 13h31 - Actualizado em 07 Setembro de 2018 | 13h31

SIC detém falsificadores de bilhetes de passagem do CFB

Luena - Uma rede de quatro indivíduos que se dedicava a falsificação de bilhetes de passagem de comboio dos Caminhos de Ferro de Benguela (CFB) foi desmantelada nesta quinta - feira, no Luena, pelos Serviços de Investigação Criminal (SIC) na província do Moxico.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Moxico: Rede de falsificador de Bilhete de passagem do CFB..

Foto: David Dias

Moxico: SIC desmantelada rede de falsificação dos bilhetes de passagem do CFB

Foto: David Dias

Em declarações à imprensa, o chefe do departamento de combate aos crimes económicos e saúde pública do SIC, inspector Pedro Agostinho, informou que dos acusados, duas são raparigas menores de 15 anos, que tinham em sua posse 17 cópias de bilhetes falsos e 14 mil kwanzas.

Prometeu que a acção inserida no plano de combate á especulação de preços de bilhetes de passagem vai ser intensificada, com vista a detectar todos quantos tentarem fraudulentar o Estado.  

Referiu que as autoridades competentes já trabalham no processo, prevendo encaminhar os menores ao julgado de menores, enquanto os dois adultos seguirão o processo comum.

O inspector comercial do CFB, Afonso Katchipa, explicou que a detecção foi possível no balcão dos serviços de Migração e Estrangeiro (SME), na altura da autenticação dos 350 bilhetes comercializados para o comboio número 20402, com destino ao Cuíto e Huambo, ao registar um acréscimo de 17 bilhetes com o mesmo número.

O funcionário dos caminhos de ferro apelou aos passageiros a dirigirem-se à bilheteira daquela estação ferroviária para adquirirem os bilhetes e evitarem compras em locais informais.  

O único homem dos implicados, Nataniel Afonso Jeremias, 20 anos de idade, disse ter sido influenciado pelas três meninas que havia conhecido durante uma viagem de comboio, no percurso Cuito-Luena, os quais fotocopiavam os bilhetes numa casa e depois vendiam-os aos interessados ao preço de cinco mil kwanzas.

Um dos passageiros lesado na acção criminosa, Gabriel Cambwebwe, disse que comprou o bilhete nas mãos de uma das meninas, devido a enchentes que se registam na bilheteira no momento das vendas, sugerindo o aumento das frequências dos comboios para fazer face à demanda. 

Actualmente, o CFB realiza quatro frequências semanais no percurso Luena-Cuíto e vice-versa, cujos bilhetes são comercializados aos preços que vão de dois mil e 450 kwanzas para a terceira classe e quatro e 900 para segunda, enquanto os da primeira classe custam sete mil e 350 Kwanzas.

Leia também
  • 05/02/2019 19:14:15

    Angola quer ajuda francesa para edificar economia forte

    Luanda - O Executivo angolano está a contar com ajuda do Governo francês para a edificação no País de uma economia forte, menos dependente do petróleo, competitiva e capaz de gerar prosperidade.

  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.