Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Setembro de 2018 | 18h38 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 18h37

Biocom prevê facturar USD 220 milhões este ano

Luanda - A Companhia de Bioenergia de Angola “Biocom” prevê facturar, este ano, 220 milhões de dólares norte-americanos, registando um crescimento na ordem de 15 porcento, comparativamente ao ano 2017, em que somou cerca de USD 190 milhões.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Biocom prevê crescimento de 15 porcento da sua produção este ano

Foto: Pedro Parente

A informação foi dada à Angop pelo director comercial e de comunicação da companhia, Fernando Koch, à margem do fórum económico sobre “Desenvolvimento do Agro negócio, Desafios e Perspectivas”, realizado pela Associação de Empresários e Executivos Brasileiros em Angola (AEBRAN).

Até essa terça-feira,11, de acordo com o director comercial, a empresa produziu 55 mil toneladas de açúcar na safra de 2018, prevendo até ao final do ano atingir as 100 mil toneladas.

Na campanha 2018, a Biocom já produziu também 13 mil metros cúbicos de etanol hidratado, mas a previsão é de 20 mil e 304 metros cúbicos de etanol hidratado e 17 mil e 617 Megawatts de energia eléctrica.

Para 2019, segundo Fernando Koch, a Biocom estimam uma produção de mais de 120 toneladas de açúcar, 25 mil metros cúbicos de etanol.

“ A Biocom está a crescer a cada ano, o futuro reserva mais açúcar e está a actuar com base no Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI), como forma de contribuir para o crescimento do país”, realçou o gestor.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 12/09/2018 18:34:38

    Proposta solução para melhorar fornecimento de energia

    Saurimo - A construção dos aproveitamentos hidroeléctricos do Cassai, Luizavo, do campo eólico no Alto Zambeze, das mini-hídricas de Tchafinda, Luanguinga e Lucula, podem melhorar e cobrir satisfatoriamente o fornecimento de energia eléctrica da rede pública na província do Moxico, considerou hoje, nesta localidade, o director da Energia e Água da província do Moxico, Celestino João.

  • 12/09/2018 18:10:17

    Zona de Comércio Livre acelera implementação do IVA

    Malanje - A implementação antecipada do Imposto de Valor Acrescentado (IVA) decorre da intenção de Angola aderir à Zona de Comércio Livre da SADC e continental em 2019, disse a técnica da Administração Geral Tributária (AGT), Djamila Sebastião.

  • 12/09/2018 17:40:48

    Crescimento desordenado dificulta rede de distribuição eléctrica

    Saurimo - O crescimento desordenado de bairros na província de Malanje está a dificultar a expansão da rede de distribuição de energia eléctrica, informou hoje, quarta-feira, em Saurimo (Lunda Sul) o director do Gabinete provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos, João Miguel Correia.