Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Setembro de 2018 | 17h40 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 17h39

Crescimento desordenado dificulta rede de distribuição eléctrica

Saurimo - O crescimento desordenado de bairros na província de Malanje está a dificultar a expansão da rede de distribuição de energia eléctrica, informou hoje, quarta-feira, em Saurimo (Lunda Sul) o director do Gabinete provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos, João Miguel Correia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Entre os constrangimentos no fornecimento de energia destacam-se a baixa taxa de electrificação, a fraca qualidade e fiabilidade da energia eléctrica em algumas zonas periurbanas da cidade e redes precárias nas zonas rurais onde funcionam sistemas isolados e ligações anárquicas à rede, informou João Correia quando fazia a apresentação do estado actual do sector energético em Malanje no VIII Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Energia e Água.

Apesar destes constrangimentos, assegurou que os projectos implementados na província resultaram no aumento da capacidade da potência instalada, de 35.5 megawatts (mw) para 51.5 mw, dos quais 43.7 estão disponíveis, incluindo a central térmica de 19.5 mw.

Actualmente o número de ligações domiciliárias é de 28 mil e 724, num total de 172 mil e 344 habitantes beneficiados em Malanje e Cacuso,  e sete mil e 398 habitantes nos restantes dez municípios, alimentados por grupos geradores.

A distribuição da energia eléctrica nos municípios de Malanje e Cacuso é feita através das redes de média e baixa tensão instaladas no meio urbano e periurbano, com 134 postos de transformação, dos quais 48 são privados.

Para expansão da rede eléctrica, o responsável disse que está em curso a electrificação de quatro bairros periféricos da cidade de Malanje, com a instalação de igual número de linhas de transportação.

Para Malanje perspectiva-se a construção de uma linha de transporte (LT) e subestações eléctricas para os municípios de Calandula e Malanje, no âmbito do projecto das (LT's) associada ao aproveitamento hidroeléctrico de Laúca, a continuidade do programa de electrificação rural e  a contratação de consultoria para estudos e projectos.

O VIII conselho consultivo do Ministério da Energia e Água que termina ainda hoje está a  analisar o plano director de desenvolvimento do sistema eléctrico 2018/2040 e a optimização de recursos e procedimentos, para melhorar o fornecimento de energia e água na região leste de Angola e a interligação do seu sistema energético.

 

Leia também
  • 12/11/2018 18:26:04

    Aposta na produção do milho é fundamental para segurança alimentar

    Lubango - A produção de milho constitui a principal plataforma para melhorar a segurança alimentar, a qualidade de vida dos camponeses e substituir as importações do produto no país, considerou hoje, no Lubango, o responsável da Associação Industrial de Angola (AIA) na Huíla, Francisco Chocolate.

  • 08/11/2018 16:55:53

    Moxico acena para investidor sul africano

    Luena - O governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba convidou nesta quarta - feira, no Luena, os empresários sul africanos a investirem em diversas áreas desta região, para contribuir no seu desenvolvimento sócio económico.

  • 05/11/2018 19:15:13

    Autoridades encerram mina ilegal de diamantes

    Cangamba - Uma mina de diamantes explorada de forma ilegal no rio Cussive, comuna do Muié, município dos Luchazes, foi encerrada hoje pelas autoridades governamentais da província do Moxico, no âmbito da " Operação "Transparência" em curso no país.

  • 05/11/2018 19:01:08

    Empresas aliciam sobas para permitir exploração ilegal de madeira

    Uíge - O administrador municipal em exercício de Ambuila, Geraldo Domingos Dendo, denunciou hoje a existência de empresas que aliciam as autoridades tradicionais fazendo falsas promessas para permitir a exploração ilegal de madeira na localidade.