Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Setembro de 2018 | 17h40 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 17h39

Crescimento desordenado dificulta rede de distribuição eléctrica

Saurimo - O crescimento desordenado de bairros na província de Malanje está a dificultar a expansão da rede de distribuição de energia eléctrica, informou hoje, quarta-feira, em Saurimo (Lunda Sul) o director do Gabinete provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos, João Miguel Correia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Entre os constrangimentos no fornecimento de energia destacam-se a baixa taxa de electrificação, a fraca qualidade e fiabilidade da energia eléctrica em algumas zonas periurbanas da cidade e redes precárias nas zonas rurais onde funcionam sistemas isolados e ligações anárquicas à rede, informou João Correia quando fazia a apresentação do estado actual do sector energético em Malanje no VIII Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Energia e Água.

Apesar destes constrangimentos, assegurou que os projectos implementados na província resultaram no aumento da capacidade da potência instalada, de 35.5 megawatts (mw) para 51.5 mw, dos quais 43.7 estão disponíveis, incluindo a central térmica de 19.5 mw.

Actualmente o número de ligações domiciliárias é de 28 mil e 724, num total de 172 mil e 344 habitantes beneficiados em Malanje e Cacuso,  e sete mil e 398 habitantes nos restantes dez municípios, alimentados por grupos geradores.

A distribuição da energia eléctrica nos municípios de Malanje e Cacuso é feita através das redes de média e baixa tensão instaladas no meio urbano e periurbano, com 134 postos de transformação, dos quais 48 são privados.

Para expansão da rede eléctrica, o responsável disse que está em curso a electrificação de quatro bairros periféricos da cidade de Malanje, com a instalação de igual número de linhas de transportação.

Para Malanje perspectiva-se a construção de uma linha de transporte (LT) e subestações eléctricas para os municípios de Calandula e Malanje, no âmbito do projecto das (LT's) associada ao aproveitamento hidroeléctrico de Laúca, a continuidade do programa de electrificação rural e  a contratação de consultoria para estudos e projectos.

O VIII conselho consultivo do Ministério da Energia e Água que termina ainda hoje está a  analisar o plano director de desenvolvimento do sistema eléctrico 2018/2040 e a optimização de recursos e procedimentos, para melhorar o fornecimento de energia e água na região leste de Angola e a interligação do seu sistema energético.

 

Leia também
  • 05/02/2019 19:14:15

    Angola quer ajuda francesa para edificar economia forte

    Luanda - O Executivo angolano está a contar com ajuda do Governo francês para a edificação no País de uma economia forte, menos dependente do petróleo, competitiva e capaz de gerar prosperidade.

  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.