Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

11 Setembro de 2018 | 19h00 - Actualizado em 11 Setembro de 2018 | 19h00

MINEA aposta na parceria público-privada

Saurimo - O Ministério da Energia e Águas (MINEA) vai apostar na parceria público-privada para a gestão delegada, captação de investimentos e na concessão de licenças de construção e exploração de pequenos sistemas de abastecimento de água no meio rural, incluindo apoio técnico, no domínio da formação de quadros.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

LUNDA SUL: LUÍS FILIPE DA SILVA SECRETÁRIO DE ESTADO DAS ÁGUAS

Foto: Quintas Benjamin

O facto foi avançado hoje, terça-feira, em Saurimo (Lunda Sul) pelo secretário de Estado das Águas,  Luís da Silva,  quando procedia à abertura do VIII Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Energia e Água, que decorre nesta cidade sob lema" O nosso desafio é melhorar os serviços de fornecimento de energia e água".

Disse que o MINEA vai igualmente reforçar cooperações com diferentes países no domínio das águas, por constituir um dos principais elementos para a redução de doenças e dos níveis de pobreza.

Reconheceu que apesar dos progressos alcançados no subsector das águas, com o aumento da capacidade de produção, distribuição e da rede domiciliária,  em consequência da implementação de diferentes projectos, a oferta dos serviços no sector ainda não satisfazem a demanda, tendo em conta o nível actual de cobertura, dai a aposta na parceria público-privada.

Por outro lado, disse que o crescimento desordenado nas grandes concentrações urbanas e a dispersão da população por pequenos núcleos nas zonas rurais têm dificultado a implementação de projectos, que visam facilitar o acesso à água potável nas comunidades.

O governante disse que a saída para este problema passa, necessariamente, pela requalificação urbana das grandes cidades e a unificação das aldeias.

O Conselho Consultivo Alargado  vai analisar, entre outros assuntos, o plano director de desenvolvimento do sistema eléctrico 2018/2040 e a optimização de recursos e procedimentos para melhorar o fornecimento de energia e água na região leste de Angola.

O evento com a duração de dois dias vai igualmente abordar questões relacionadas com a interligação do sistema energético leste.

Estarão ainda em análise as estratégias dos governos provinciais para a expansão do abastecimento de água e distribuição de energia e o plano de acção para o quinquénio 2018/2022.

 

Leia também
  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.

  • 01/02/2019 20:07:05

    Construção da barragem de Baynes estimada em USD 1,2 mil milhões

    Cacuso - A construção da barragem hidroeléctrica Binacional de Baynes, com início previsto para 2021, no rio Cunene, fronteira entre Angola e a Namíbia, está estimada em 1,2 mil milhões de dólares, avançou hoje (sexta-feira), em Malanje, o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges.