Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

12 Setembro de 2018 | 19h23 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 19h23

Redução do preço do calcário pode aumentar produção

Luanda - O aumento das empresas de produção do pó calcário ?dolomítico? utilizado na recuperação e estabilização dos solos, vai permitir a baixa de preço deste produto essencial na actividade agrícola, considerou nesta quarta-feira, em Luanda o ministro da Agricultura e Florestas, Marcos Nhunga.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Actualmente a comercialização de uma tonelada de calcário varia entre  USD 50 a 80, um preço que os camponeses dizem ser muito elevado, apesar da eficiência do produto na actividade agrícola, disse o governante à imprensa no workshop sobre “o uso de calcário dolomítico para a recuperação e estabilização dos solos em Angola.

Afirmou que o país tem bastante calcário, mas a distância e o custo de transportação do   produto tem sido  um dos maiores constrangimentos.

Em Angola, 32 empresas estão licenciadas para serem utilizadas na construção de estradas. Destas,  apenas uma se dedica especialmente à produção de calcário dolomítico, utilizado para a recuperação e estabilização dos solos.

Considerou  importante a mobilização dos camponeses sobre a importância do uso do pó do calcário dolomítico na produção do milho, feijão, hortícolas, entre outras culturas que necessitam da correcção dos solos para aumentar a sua produção e produtividade.

O director nacional dos Recursos Minerais, André  Buta, explicou que o calcário é abundante em todo o litoral do País e que o nível de produção ainda é  baixo.

Sublinhou que as empresas de construção civil que se dedicam a construção de estradas são as que se dedicam à produção e comercialização do pó do calcário.

Na  abertura do encontro,  o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo,  realçou que o País possui uma vasta extensão de terras aráveis para a produção agrícola, apesar disto,  grande parte dos solos são ácidos e requerem o uso de correctivos para melhorar a produtividade e a colheita agrícola.

O workshop, uma realização conjunta entre os ministérios dos Recursos Minerais e Petróleos e da Agricultura e Florestas, contou com a presença do secretário do Presidente da República para o Sector Produtivo, Isaac dos Anjos, responsáveis de vários ministérios, entre outros.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 08/11/2018 16:55:53

    Moxico acena para investidor sul africano

    Luena - O governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba convidou nesta quarta - feira, no Luena, os empresários sul africanos a investirem em diversas áreas desta região, para contribuir no seu desenvolvimento sócio económico.

  • 05/11/2018 19:15:13

    Autoridades encerram mina ilegal de diamantes

    Cangamba - Uma mina de diamantes explorada de forma ilegal no rio Cussive, comuna do Muié, município dos Luchazes, foi encerrada hoje pelas autoridades governamentais da província do Moxico, no âmbito da " Operação "Transparência" em curso no país.

  • 05/11/2018 19:01:08

    Empresas aliciam sobas para permitir exploração ilegal de madeira

    Uíge - O administrador municipal em exercício de Ambuila, Geraldo Domingos Dendo, denunciou hoje a existência de empresas que aliciam as autoridades tradicionais fazendo falsas promessas para permitir a exploração ilegal de madeira na localidade.

  • 05/11/2018 12:48:21

    Camponeses de Nacatenga recebem inputs agrícolas

    Saurimo - Vários "inputs agrícolas" e sementes, como sementes de milho, adubos, enxadas, catanas e outros meios, foram entregues domingo, na aldeia do Nacatenga, 20 quilómetros da comuna do Muriege, município do Muconda (Lunda Sul), com vista a aumentar a produção.