Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

11 Janeiro de 2019 | 18h31 - Actualizado em 11 Janeiro de 2019 | 18h31

Rendimentos mensais limitam acesso a divisas por viagem

Luanda - O acesso aos oito mil euros por viagem, fixados pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depende dos rendimentos mensais de cada cliente, domiciliado nos bancos comerciais, e não deve ultrapassar os 25 milhões de kwanzas por ano, esclareceu hoje o economista e administrador do Banco Yetu, Fernando Vunge.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Moeda Única Europeia

Foto: Foto de divulgação

Em declarações à Angop, a propósito do ajuste ao limite máximo de venda de moeda estrangeira por viajante residente cambial, Fernando Vunge explicou que, embora o montante por viagem tenha sido ajustado de 4.500 para 8 mil euros, é difícil os bancos concederem o máximo do valor por viagem, porque poucos angolanos têm rendimentos mensais equivalentes a esta cifra, por isso recebem sempre menos.

Além daquele factor, que condiciona o acesso aos oito mil euros por viagem, o economista apontou a dificuldade dos clientes dos bancos comerciais provarem a origem dos seus rendimentos mensais.

Obedecendo ao aviso nº 13/13 do BNA, os bancos comerciais para disponibilizarem as divisas devem identificar e efectuar diligências sobre os clientes (de Know Your Customer e Customer Due Diligence), conferindo especial atenção à verificação da coerência entre a capacidade financeira/nível de rendimentos do cliente e os valores das suas transferências.

Essas medidas do Banco Central, na óptica do bancário, visam também aferir se na verdade os fundos nas contas dos clientes, ao serem convertidos em divisas, não estão a servir para lavagem de dinheiro ou fuga de capitais.

Actualmente, os bancos adquirem as dividas através dos leilões livres de divisas realizados pelo BNA, e para tal são exigidos que cumpram uma série de requisitos. Desde outubro de 2018 o BNA concedeu autonomia aos bancos comerciais a repassarem as divisas aos clientes em função da política comercial de cada banco.

Os clientes pode aceder às divisas através de cartão electrónico de pagamento, transferência bancária, moeda em mão ou cheque sobre o estrangeiro.

 
 

Assuntos Economia  

Leia também
  • 04/02/2019 12:48:02

    Luanda acolhe Fórum Empresarial França-Angola

    Luanda - Um Fórum Empresarial França-Angola, que contará com a participação de uma comitiva de representantes de grandes empresas francesas do Movimento de Empresários Francês (MEDEF), será realizado na próxima terça-feira (5), em Luanda.

  • 02/02/2019 07:25:27

    Metas do Prodesi passam por financiamento bancário

    Luanda - Os bancos comerciais terão papel fundamental, através da disponibilização do crédito, nos projectos do Programa de Apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações "PRODESI", argumentaram economistas ouvidos pela Angop.

  • 02/02/2019 06:20:13

    Economistas consideram oportuna revisão do OGE/2019

    Luanda - O economista Lopes Paulo considerou nesta quinta-feira, em Luanda, um imperativo a revisão em baixa do Orçamento Geral do Estado (OGE/2019), com preço referência do barril de petróleo a situar-se entre 50 a 55 dólares.

  • 01/02/2019 20:07:05

    Construção da barragem de Baynes estimada em USD 1,2 mil milhões

    Cacuso - A construção da barragem hidroeléctrica Binacional de Baynes, com início previsto para 2021, no rio Cunene, fronteira entre Angola e a Namíbia, está estimada em 1,2 mil milhões de dólares, avançou hoje (sexta-feira), em Malanje, o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges.