Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

11 Janeiro de 2019 | 17h45 - Actualizado em 12 Janeiro de 2019 | 13h27

Trabalhadores do CFL mantêm decisão de greve

Luanda - Os trabalhadores do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL) deliberaram, nesta sexta-feira, manter a greve convocada para segunda-feira (dia 14), decisão que reduzirá de 17 para dois o número de comboios a circular diariamente.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Greve vai reduzir circulação de comboios

Foto: Cedida pela fonte

Na última quinta-feira, o Sindicato dos Trabalhadores da empresa reuniu-se com a direcção do CFL, representantes dos ministérios dos Transportes, das Finanças e do Trabalho, para abordar os 19 pontos do caderno reivindicativo apresentado à entidade patronal.

Dos 19 pontos em discussão, as partes já chegaram a consenso em 15, faltando quatro, nomeadamente, o aumento salarial em 80 por cento, dos subsídios de alimentação (20 por cento), de transporte (15 por cento) e de instalação (no valor 100 mil kwanzas).

Dada a falta de consenso, nestes quesitos, os trabalhadores reconfirmaram a Declaração de Greve, nesta sexta-feira, em assembleia-geral, segundo o secretário para informação da comissão sindical do CFL, Loureço Contreiras.

Com esta decisão, a partir de segunda-feira os trabalhadores prestarão apenas serviços mínimos, sendo um comboio no período da manhã (7h00) no sentido Viana/Bungo e outro às 16 horas no sentido inverso, que poderão transportar pouco mais de 350 pessoas por viagem.

Os comboios de carga e os de passageiros interprovincial (Luanda/Cuanza Norte/Malanje), que fazem duas corridas semanais, estarão totalmente paralisados enquanto durar a greve de tempo indeterminado.

O CFL realiza diariamente 17 viagens de comboio suburbano de passageiros, transportando nos três serviços perto se seis mil pessoas que pagam 500 kwanzas em primeira classe, 200 na segunda classe e 30 na terceira classe.

A corrida de Luanda ao Cuanza Norte ronda os mil 800 kwanzas e para Malanje o passageiro desembolsa três mil kwanzas.

O caderno reivindicativo visa também a melhoria das condições de trabalho, revisão da tabela salarial, actualização das categorias laborais, entre outros.

Assuntos Comboio   Transporte  

Leia também
  • 05/02/2019 13:04:36

    Serviço de cabotagem em Cabinda arranca este ano

    Luanda - A província de Cabinda contará, a partir deste ano, com o serviço de cabotagem de passageiros e carga, disse nesta segunda-feira o ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida.

  • 31/01/2019 16:13:55

    Receitas da Unicargas crescem 27% em 2018

    Luanda - Quatro mil milhões, 616 milhões, 805 mil e 873 kwanza é o valor de receitas arrecadadas, de Janeiro a Novembro, pela Transportadora de Cargas, Operadora de Terminais e Transitário (Unicargas), um aumento de AKz 990 milhões, 81 mil e 369 em relação ao período homólogo de 2017.

  • 25/01/2019 17:49:39

    Trabalhadores do CFL suspendem greve

    Luanda - Os 17 comboios do Caminho de Ferro de Luanda (CFL) voltam a circular com normalidade, a partir da próxima segunda-feira, como resultado da suspensão da greve geral iniciada a 14 de Janeiro. A suspensão deve vigorar até ao dia 31 de Março próximo.

  • 24/01/2019 09:12:48

    Grevistas do CFL repõem serviços mínimos

    Luanda - Os trabalhadores do Caminho de Ferro de Luanda (CFL) retomaram, nesta quinta-feira, os serviços mínimos, com a circulação de um comboio no trajecto Viana/Bungo, actividade interrompida há quatro dias, no quadro da greve geral.