Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

22 Janeiro de 2019 | 12h17 - Actualizado em 22 Janeiro de 2019 | 12h17

BPC assina protocolo de antecipação de salários

Lubango - O Banco de Poupança e Crédito (BPC) assinou hoje, no Lubango, um protocolo com várias instituições públicas, para que os funcionários destes organismos possam beneficiar do serviço "BPC salário antecipado protocolado".

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Deste modo, o BPC rubricou acordos com a Rádio Huíla, Comissão Nacional Eleitoral na Huíla, Caixa de Segurança Social das Forças Armadas, Gabinete da Agricultura, Pecuária e Pescas, Delegação das Finanças e a Administração Municipal da Chibia.

O BPC salário antecipado protocolado é um produto de crédito ao consumo para as despesas de curto prazo, destinado aos trabalhadores de empresas públicas e privadas, com salario domiciliado no referido banco, cujo limite de crédito vai até 80% do salário do beneficiário.

O valor disponibilizado mais os juros serão reembolsados até quatro meses e a prestação mensal não pode exceder os 45% do salário.

Ao falar no acto que marcou a assinatura do protocolo, com as instituições, o director regional Sul do BPC, Álvaro Vigário, disse que, com BPC Salário, os funcionários podem ter acesso ao serviço de adiantamento de salários, sendo que já é uma realidade na região sul, embora seja recente o novo modelo.

Explicou que BPC Salário é um produto antigo, que ficou parado por cerca de quatro anos, mas o novo modelo traz um vínculo directo entre o beneficiário do crédito e a instituição que financia, para estabelecer-se um rigor e ter a certeza que os trabalhadores estão efectivos, o que não existia no anterior modelo.  

“Assim, esperamos suprir as necessidades financeiras dos funcionários públicos e privados na província da Huíla e na região sul em geral. Temos condições para o efeito, pois com a assinatura dos protocolos, os funcionários das instituições estão habilitados, sem qualquer impedimento”, reafirmou.  

Além de atender os funcionários públicos, o banco tem disponibilidade para financiar micro, pequenas e médias empresas dos sectores agro-pecuários, indústria, pesca e energia e águas, projectos com valores superiores a três milhões de dólares, equivalente em moeda nacional, através da linha de crédito do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

O gabinete provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos e pelo Hospital Sanatório do Lubango também foram signatário do referido protocolo.

Leia também
  • 05/02/2019 10:48:40

    Cuimba ganha primeira agência bancária

    Mbanza Kongo - A vila do Cuimba, situada a 62 quilómetros a Nordeste da cidade de Mbanza Kongo, conta, desde segunda-feira, com uma dependência do Banco de Poupança e Crédito (BPC), a primeira a abrir as portas naquela localidade, desde 1975.

  • 03/02/2019 10:32:56

    Mais de mil milhões de kwanzas serão empregues em projectos na Matala

    Matala - Mil milhões, 18 milhões, 527 mil e 126 Kwanzas foram disponibilizados, no âmbito do Orçamento Geral do Estado (OGE) referente ao exercício económico de 2019, para financiar 37 projectos no município da Matala.

  • 02/02/2019 17:06:36

    Angola: Contabilistas públicos buscam transparência na execução do erário

    Luanda - A aplicação do quadro Normativo Contabilístico Internacional (IPSAS) no sector público em Angola, previsto até 2023, pode contribuir na melhoria da imagem da país no exterior e conquistar uma maior confiança dos investidores, disse este sábado, em Luanda, a especialista Ana Calado Pinto.

  • 02/02/2019 12:56:57

    Huíla: Caluquembe necessita de mais 50 técnicos agrícolas

    Caluquembe - O município de Caluquembe, a cerca de 193 quilómetros a norte do Lubango, província da Huíla, precisa de pelo menos 50 técnicos agrícolas para dar resposta às 225 associações e 50 cooperativas de camponeses nas comunas da Sede, Calepi e N'gola, que compreendem a circunscrição.