Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

04 Novembro de 2019 | 13h43 - Actualizado em 04 Novembro de 2019 | 18h18

Quarta lapidadora de diamantes já em actividade

Luanda - Uma fábrica de lapidação de diamantes, denominada "KGK Angola", com capacidade para processar 100 mil quilates brutos/ano, foi inaugurada hoje, segunda-feira, em Luanda, elevando para quatro o número de unidades do género no país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Funcionários da fábrica de lapidação de diamantes "KGK Angola"

Foto: Clemente dos Santos

Ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, inaugura fábrica de lapidação de diamantes

Foto: Clemente dos Santos

Com cinco milhões de dólares já investidos, dos USD 25 milhões previstos para a primeira fase desta fábrica, a iniciativa é uma parceria entre o grupo de origem indiana "KGK", com 65 por cento, a Sodiam E.P, com 5, e a UST, com 30.

A unidade fabril, inaugurada pelo ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, obedece aos novos padrões internacionais de lapidação, proporcionou 50 postos de trabalho para nacionais, número que poderá aumentar para 200 até ao primeiro semestre de 2020.

Na ocasião, o governante, que presidiu à cerimónia de inauguração, congratulou-se com este novo investimento e, em particular, com o interesse do grupo KGK no mercado angolano. Na sua opinião, a fábrica é uma mais-valia em termos de qualidade de novos projectos e parcerias a serem desenvolvidos no país.

Disse ser pretensão do Executivo aumentar, a médio-prazo, 20 por cento da capacidade de lapidação de diamantes produzidos no país, que actualmente é de apenas dois por cento.

A Lei do Subsector dos Diamantes impõe que 20 por cento dos diamantes explorados no país devem ser lapidados internamente.

Com a inauguração desta fábrica, o país conta com a quarta instalação de lapidação de diamantes (APD, ASPD, Pedras Rubras).

Diamantino Azevedo apelou aos investidores nacionais e estrangeiros para apostarem neste investimento no Pólo Industrial, em finalização na província da Lunda Sul, assim como em outras partes do país, onde se exploram diamantes.

Sem avançar a produção e os valores a serem investidos, informou que, brevemente, haverá investimentos para a construção de fábricas de lapidação de diamantes nas províncias da Lunda Norte e de Malanje, assim como a inauguração de uma lapidadora no Pólo Industrial em Saurimo, na Lunda Sul.

A KGK é uma empresa de origem indiana, criada em 1905, com sede em Hong Kong, vocacionada para a actividade de mineração, jóias, comercialização de pedras preciosas, entre outros produtos.

Presente em 18 países, a KGK  conta com uma equipa global que integra 14 mil profissionais e com plena actividade na Ásia, América, Europa, Austrália e em África (África do Sul, Botswana, Moçambique e Namíbia).

Assuntos Diamantes  

Leia também
  • 04/11/2019 14:16:02

    Venda de diamantes com aumento de USD 30,7 milhões

    Luanda - O subsector dos diamantes de Angola arrecadou 294,85 milhões de dólares no terceiro trimestre do ano em curso, um aumento de USD 30,7 milhões (11,7%) em relação ao período homólogo de 2018.

  • 23/10/2019 16:14:28

    País projecta 14 milhões de quilates com Luaxe

    Sochi (Dos enviados especiais) - Angola prevê produzir até 2022, com a entrada em exploração da Mina de Luaxe (Lunda Sul), pelo menos 14 milhões de quilates de diamantes.

  • 04/10/2019 18:16:01

    Endiama relança três projectos diamantíferos

    Dundo - Vinte e cinco milhões de dólares norte-americanos estão a ser investidos para o relançamento dos projectos diamantíferos do Cassanguidi, Chimbongo e Furi, no município de Cambulo, Lunda Norte, informou hoje, sexta-feira, no Dundo, o presidente do conselho de administração da Endiama, Ganga Júnior.