Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

15 Novembro de 2019 | 18h46 - Actualizado em 15 Novembro de 2019 | 18h46

Veículos pesados trafegam com dobro da carga

Luanda - Oitenta por cento dos veículos pesados que circulam nas estradas de Angola trafegam com dobro da quantidade legislada de oito toneladas por eixo, um aumento considerado destrutivo para o pavimento.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

De acordo com um estudo sobre contagem volumétrica classificatória apresentado nesta  quinta-feira, pelo Instituto das Estradas  de  Angola (INE), no 3º  Simpósio Internacional de  Estradas,  o  efeito do carregamento cresce de forma  exponencial em cerca de 50%, um  aumento de oito vezes o efeito destrutivo e o dobro da carga em cerca de 20 vezes.

O estudo feito nos dois principais eixos de Angola Luanda/Benguela  e Maria Tresa/Dondo, entre os finais de  2018 a Julho de  2019,  concluiu que  o  excesso  de carga dos veículos é um dos factores  responsáveis pela  degradação prematura  dos pavimentos, um facto que está a contribuir na  redução da vida útil das estradas, que  são 10 anos.

Para  a contagem  volumétrica   classificatória  foram utilizadas  balanças  estáticas de  do tipo “ Haenni Wi 108” e  “Haenni  Wl 400 Sistem”.

Segundo o  membro da  Comissão de Gestão do INE, Fernando  Bonito, o estudo representa um dos passos que está a ser dado  para o  estabelecimento de mecanismos para se aferir as sobrecargas nas estradas em termos de quantidade e qualidade.

O responsável admitiu não existir ainda um regulamento para  controlo do excesso de carga nas estradas, assegurando que  o trabalho  está a ser  feito para que  até 2020 o país disponha de  legislação para normalizar o que se assiste actualmente. 

 “Em rigor não temos legislação. Estamos a trabalhar para que a carga seja pesada por eixos. Após este estágio ser ultrapassado, o sector poderá ter mecanismos para poder actuar com maior rigor”, avançou.

Actualmente, a pesagem da carga dos veículos pesados é feita de forma bruta junto da ponte da barra do Cuanza, município de Belas, em Luanda.

Em  Angola,  o meio de  transporte   mais  utilizado é o rodoviário que  movimenta 95%  das cargas e o seu desempenho é afectado pela alta da manutenção  das redes  viárias.

Por  outro lado,  Angola  participa das  acções do programa  tripartido  que  congrega  três  regiões em África, como  a SADC, a COMESA - Mercado Comum da África Oriental e Austral e a SATCC- Comissão de Transportes e Comunicações da África Austral.

Esses grupos criaram  o protocolo de  facilitação dos transportes, cumprindo com o peso por  eixo,  as dimensões dos  veículos e a tipologia das infra- estruturas, para o controlo do tráfego nas estradas.

Experiências de Moçambique,  Namíbia  e  África  do Sul  foram apresentadas neste evento, que marcou o 29º aniversário do  Instituto de Estrada de  Angola (INEA).


 

Assuntos Estradas   Transporte  

Leia também
  • 15/11/2019 16:01:31

    Fundo fixo de USD 100 milhões serve para obras de emergência

    Luanda - O ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, esclareceu nesta sexta-feira que o fundo fixo anual de 100 milhões dólares americanos disponíveis é destinado a obras de emergência de estradas, pontes desabadas e contenção de ravinas.

  • 10/11/2019 16:33:32

    Huila: Obras de terraplanagem melhoram circulação entre Quipungo e Chicomba

    Chicomba - O trabalho de terraplanagem que decorre no troco Quipungo-Chicomba, 95 quilómetros, desde Outubro último, melhorou as condições de circulação de pessoas e bens na região, assim como fomenta a produção agrícola, disse hoje o governador da Huíla, Luís Nunes.

  • 07/11/2019 19:37:52

    Linha de montagem de tractores reduz preços

    Luanda - O ministro da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis, considerou hoje, em Luanda, que a linha de montagem de tractores que começa a funcionar a partir deste mês, na Zona Económica Especial (ZEE), vai permitir tornar barato os preços dos tractores em Angola.