Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

06 Dezembro de 2019 | 16h58 - Actualizado em 06 Dezembro de 2019 | 16h53

Porto de Luanda aposta na segurança e sinalização marítima

Luanda - A empresa Portuária de Luanda definiu o reforço da segurança de pessoas e bens e a melhoria da sinalização marítima como dois importantes projectos a serem concretizados em 2020.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Vista parcial do Porto de Luanda.

Foto: Nelson Malamba

Administrador para área Comercial e das TIC do Porto de Luanda, Miguel Zangui

Foto: NELSON MALAMBA

Com a melhoria da sinalização, o Porto de Luanda pretende assegurar a navegação das embarcações dentro e nos arredores da baía de Luanda, disse hoje à Angop o administrador Comercial e de Tecnologia de Informação, Manuel Zangui.

Consta também dos projectos da empresa para o ano que se avizinha, dinamizar o sistema comunitário portuário (port community system) e efectivar a interligação do sistema informático entre os parceiros.

Estes projectos, segundo a fonte, que falou à Angop a propósito do 8º conselho consultivo da companhia realizado nessa quarta-feira (4), são de implementação imediata a partir de 2020. “ Quanto a sua duração, dependerá do envolvimento dos parceiros bem como dos recursos financeiros disponíveis”.

Manuel Zangui disse que os projectos constituem conclusões saídas do conselho e, assim sendo, a sua quantificação carecerá de estudos e consulta junto de empresas especializadas a partir de Janeiro de 2020.

Sob o tema “Porto de Luanda e os desafios da modernização”, o evento contou com a participação de 84 membros da comunidade portuária e nele foram analisados assuntos   “Plano Director Geral do Porto de Luanda, Plano de Ordenamento Portuário, Plano de Emergência e Contingência do Porto de Luanda, bem como os constrangimentos comuns à comunidade e eventuais soluções”.

O Conselho Consultivo tem como objectivo primordial analisar assuntos sobre a gestão e exploração dos serviços portuários, as acessibilidades e infra-estruturas portuárias, bem como o apoio e participação na definição das linhas gerais de actuação.

O órgão é presidido pelo presidente do Conselho de Administração do Porto de Luanda e integra representantes do Instituto Marítimo Portuário de Angola (IMPA), Administração Geral Tributária (AGT), Conselho Nacional de Carregadores (CNC), Governo da Província de Luanda, agentes de navegação, despachantes oficiais, importadores e exportadores, concessionários dos terminais e de operações portuários e  a Associação Industrial de Angola (AIA).

Assuntos Economia  

Leia também
  • 07/12/2019 19:45:38

    Mintur traça roteiro turístico para Malanje

    Malanje - O Ministério da Hotelaria e Turismo e algumas agências de viagem de Malanje e Luanda trabalham na projecção de um roteiro turístico da província, para facilitar a criação de pacotes turísticos ajustados à realidade local e contribuir na dinamização e rentabilização do sector.

  • 07/12/2019 19:36:36

    Governo baixa preços de terrenos em 50 por cento

    Luanda - Os preços dos terrenos infra-estruturados do Estado angolano, que em 2015 foram fixados entre 90 a 214 dólares norte-americanos por cada metro quadrado, sofreram uma redução na ordem dos 50 por cento (USD 45 e 107), tendo em conta a perda do poder de compra dos cidadãos, soube hoje, sábado, a Angop.

  • 07/12/2019 05:32:27

    Concessão de USD 247 milhões para Angola marca noticiário económico

    Luanda - A terceira concessão para Angola de 247 milhões de dólares, pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), de um total de 1.48 mil milhões, no quadro do programa de reformas acordado com o Governo angolano, marcou a semana económica que hoje (sábado) termina.

  • 06/12/2019 20:25:27

    Cooperativas sob ameaça de perderem licenças diamantíferas

    Saurimo - As cooperativas de diamantes que, dentro de dois anos, não forem competitivas e nem contribuírem com receitas fiscais vão perder a licença de exploração, alertou hoje na Lunda Sul, o director Nacional dos Recursos Minerais, André Buta.