Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

09 Dezembro de 2019 | 18h20 - Actualizado em 10 Dezembro de 2019 | 10h49

Terrenos no Kilamba custam USD 115/metro quadrado

Luanda - Cento e quinze dólares por metro quadrado é o novo preço médio para a comercialização dos terrenos infra-estruturados da centralidade do Kilamba, no município de Belas, em Luanda, cuja pré-inscrição iniciou nesta segunda-feira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra Ordenamento do Território, Ana Paula de Carvalho.

Foto: Joaquim Tomás

Na venda anterior, que aconteceu em 2015, o preço médio dos espaços naquela zona era de USD 214 por metro quadrado.

O administrador para a Área Técnica da Empresa Gestora de Terrenos Infra-estruturados (EGTI), Tilson Gouveia, afirmou que os terrenos para uso misto registam uma redução no preço de 30 por cento, para habitação multilateral (40%), igual percentagem para saúde, ensino (55%) e a habitação unifamiliar (65%).

O responsável, que falava na actividade de lançamento dos novos preços dos terrenos, anunciou que, de um total de mil e 343 lotes, estarão disponíveis inicialmente para a comercialização 61 lotes.

Nesta primeira fase, o processo de venda dos referidos espaços vai começar nos terrenos adjacentes à centralidade do Kilamba, que conta com cerca de cinco mil hectares infra-estruturados.

Por sua vez, a ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, afirmou que o sector vai dedicar-se à promoção e valorização de activos em mais de 12 províncias do país.

Para efeito, acrescentou, foram já desenvolvidos estudos e acções concretas para a comercialização de terrenos infra-estruturados a preços baixos.

Frisou que o início de vendas desses terrenos servirá também para recuperar, a curto e médio prazos, o investimento que o Estado efectuou nessas infra-estruturas urbanas.

Para além do Sequele e Kilamba, as urbanizações do Camama e Jardim de Rosa também contam com projectos de infra-estruturação, que estão em fase de conclusão.

A Empresa Gestora de Terrenos Infra-estruturados (EGTI, E.P.) é uma instituição estratégica do Estado angolano, criada em 5 de Março de 2015, por Decreto Presidencial nº 58/15.

Tem como objectivo atender a necessidade de instituir uma estrutura empresarial encarregue pela administração de forma mais racional dos terrenos infra-estruturados do domínio público e privado do Estado Angolano.

A administração e a gestão criteriosa dos terrenos infra-estruturados enquanto património público que contribuem para o desenvolvimento sustentável do país, bem como garantem o bem-estar da população, também faz parte da missão da EGTI, E.P.

Visa igualmente prosseguir com os objectivos preconizados pelo Executivo angolano relativamente ao controlo e orientação da gestão dos terrenos, no âmbito da requalificação e expansão das cidades e centros rurais.

Assuntos Comércio  

Leia também
  • 28/11/2019 15:57:37

    Património do Comércio terá gestão privada

    Luanda - O Ministério do Comércio está a proceder ao levantamento de todo património do seu pelouro, a nível nacional, para levar a concurso público a sua gestão, a partir do primeiro trimestre de 2020.

  • 27/11/2019 20:37:23

    SILAI emite mais de 300 alvarás em 2019

    Luanda - Cerca de trezentos e cinquenta e nove alvarás de licença industrial foram emitidos, durante o corrente ano, pela plataforma de Licenciamento Industrial (SILAI) em todo país.

  • 27/11/2019 17:33:02

    Lançamento do Cartão Jovem com desconto até 40 por cento

    Luanda - O cartão Jovem Angola (CJA), que entra em funcionamento a partir de quinta-feira (28), em Luanda, vai permitir aos jovens angolanos beneficiar de descontos de cinco até 40 por cento na compra de produtos e serviços.