Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

28 Março de 2019 | 19h42 - Actualizado em 28 Março de 2019 | 19h50

Angola retrocede no acesso à telefonia móvel

Luanda - O número de usuários de telemóvel em Angola reduziu de 14 milhões, em 2014, para 13 milhões em 2016, período em que se registou maior declínio no acesso à telefonia móvel, informou hoje o administrador executivo do Instituto Angolano das Comunicações (Inacom), António Moniz Gonçalves.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Foto: Lino Guimaraes

Já nos anos subsequentes a 2016, registou-se uma melhoria no acesso, passando a cifra de usuários, em 2017, para 13,3 milhões e com uma relativa quebra de 13,2 milhões em 2018. Angola conta com duas operadoras de telefonia móvel, Unitel e Movicel.

A respeito da quebra no acesso à telefonia móvel, entre 2014 a 2016, o secretário de Estado para as Telecomunicações, Mário Augusto da Silva Oliveira, justificou que foi influenciada pelo processo de “actualização dos números” e pela crise económica financeira que o país atravessa.

Em relação à telefonia fixa, o Inacom registou um crescimento da rede de 161 mil utentes para  2017 para 171,8 mil em 2018.

Em relação à influência da “actualização dos números”, explicou que as informações ou dados iniciais existentes sobre os usuários eram com base no número de assinantes, que foi rastreado, e quanto à crise, esta contribuiu na retracção do mercado nos seus mais variados aspectos.

Ainda no domínio das telecomunicações e tecnologias de informação, o administrador do Inacom, António Moniz Gonçalves, considerou animador os dados sobre os subscritores de televisão no país. Tendo a televisão por cabo atingido 63,9 mil subscrições, em 2017, e 89,6 mil em 2018.

Já os subscritores por satélite, saiu de 1,4 milhão em 2017 para 1,8 milhão em 2018. Segundo o administrador do inacom, António Moniz Gonçalves, espera-se, este ano, manter a projecção de crescimento apesar do aumento das tarifas.

Quanto ao acesso à internet em Angola, contabilizou-se 4,4 milhões de utilizadores em 2017, cifra que passará para 5,9 milhões de utentes em 2019.

Este aumento do número de usuários de internet em Angola, de acordo com o secretário de Estado para as Telecomunicações, Mário Augusto da Silva Oliveira, tem a ver com a utilização da internet por via da telefonia móvel.

Em Angola, segundo Censo Populacional de 2014, apenas 13 por cento da população tinha acesso às tecnologias de informação e comunicação.

Estes dados foram fornecidos hoje no encerramento de uma formação sobre Indicadores estatísticos da União Internacional de Telecomunicações (UIT), promovida pelo Inacom , que reuniu técnicos e responsáveis de Angola, Brasil, Moçambique e Portugal.

Assuntos Economia   Telecomunicações  

Leia também
  • 28/03/2019 14:06:50

    Angola assume presidência de centros regionais do FMI

    Luanda - Angola assumiu esta quarta-feira a presidência rotativa do Comité de Pilotagem dos Centros Regionais de Formação e Assistência Técnica do Fundo Monetário Internacional (FMI).

  • 27/03/2019 18:24:03

    Benguela vai ter Guiché Único da Empresa este ano

    Luanda - O secretário de Estado da Justiça, Orlando Fernando, anunciou hoje que a província de Benguela vai ter, ainda este ano, os serviços do Guiché Único da Empresa (GUE),

  • 27/03/2019 17:50:26

    Angolanos já podem constituir empresas pela internet

    Luanda - O Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos lançou hoje o Guiché Único da Empresa online, uma plataforma que permite a candidatos e a empresários constituir empresas a partir da internet, no endereço electrónico www.sepe.gov.ao.