Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

24 Abril de 2019 | 16h47 - Actualizado em 24 Abril de 2019 | 16h46

Seis bancos dominam mercado angolano

Luanda - Seis bancos, de um total de 26 instituições financeiras, dominam o mercado bancário angolano, com uma quota de 77 porcento, anuncia o jornal Mercado, na sua edição de 19 de Abril.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Alcides Safeca, PCA do BPC, o maior banco comercial angolano

Foto: Rosário dos Santos

Trata-se do Banco de Poupança e Crédito (BPC), Banco Angolano de Investimentos (BAI), Banco de Fomento Angola (BFA), Banco Económico, Banco Millennium Atlântico (BMA) e Banco Internacional de Crédito (BIC).

O “Mercado” destaca que os restantes 20 bancos, incluindo os que não ocupam nenhuma percentagem, disputam 23 porcento da fatia de mercado.

Desses, constam 11 instituições bancárias que não ocuparam nem sequer um porcento da quota de mercado, em 2018, de acordo com cálculos do jornal “Mercado”, com base nos activos dos 26 bancos a operar em Angola apurados no quarto trimestre do ano passado.

Segundo a fonte, entre os 11 bancos constam o Banco Comercial do Sul, Banco Comercial Angolano, Banco Valor, Standard Chartered Bank Angola, Banco Comercial do Huambo, Banco Prestígio, Banco Yetu, Banco de Investimento Rural, Banco Kwanza Invest, BAI MicroFinanças e a sucursal de Luanda do Banco da China.

Seguindo a ordem, BAI MicroFinanças e o Banco da China ocupam os últimos lugares da tabela classificativa da maior fatia do mercado bancário angolano, indica o “Mercado”.

O BMF registou um activo de 14,8 mil milhões de kwanzas, em Dezembro de 2018, enquanto a sucurrsal do Banco da China em Luanda, que começou a operar no mercado em 2017, fixou o seu activo nos 8,1 mil milhões de kwanzas, no mesmo período.

A fonte detalha que as 11 instituições bancárias referenciadas somam um activo abaixo do activo do décimo maior banco a operar no mercado angolano, o Banco Caixa Geral Angola (BCGA).

De acordo com o jornal “Mercado”, o histórico da banca angolana demonstra que, muito por conta do tempo de existência e o número de clientes, há cinco anos que os cinco maiores bancos são os mesmos.

No entanto, segundo a mesma fonte, o “grande sinal de concorrência pela maior quota de mercado verifica-se entre o Banco Angolano de Investimento (BAI) e o Banco de Fomento Angola (BFA).

O BAI é actualmente o segundo maior banco comercial do país, com um activo de dois biliões de kwanzas.

O maior banco de Angola, pela sua data de fundação, número e tipo de clientes (principalmente o Estado) é “claramente”, o Banco de Poupança e Crédito (BPC), detido pelo próprio Estado.

De acordo com o “Mercado”, o BPC encerrou 2018 com um activo de 2,09 biliões de kwanzas, uma certeira de crédito a clientes no valor de 953,6 mil milhões de kwanzas, fundos próprios avaliados em em 365,3 mil milhões de kwanzas e registou um prejuízo de 26,6 mil milhões de kwanzas.

  

Assuntos Angola   Banca   Economia  

Leia também
  • 24/04/2019 20:52:42

    Multicaixa Express vai substituir cartões físicos

    Luanda - O aplicativo Multicaixa Express (MCX Express), criado pela empresa interbancária de serviços, EMIS, vai desmaterializar, de forma paulatina, o uso dos cartões multicaixas físicos no país.

  • 24/04/2019 20:43:13

    Mais de 80 expositores confirmam presença na 1ª edição da Expo-Malanje

    Malanje - Mais de oitenta empresas, entre nacionais e estrangeiras, ligadas aos sectores da banca, seguros, indústria, agricultura e energia e águas estão já confirmadas para participar na primeira edição da Feira Internacional de Malanje (Expo-Malanje), a decorrer de 2 a 5 de Maio próximo, no Pavilhão Palanca Negra.

  • 23/04/2019 19:25:31

    Sonangol transfere competências à nova concessionária

    Luanda - O secretário de Estado dos Petróleos, José Alexandre Barroso, afirmou, nesta terça-feira, que a Sonangol já está a proceder, desde dia 18 do mês em curso, à transferência efectiva das competências à Agência Nacional de Petróleo Gás e Biocombustíveis (ANPG).