Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

24 Maio de 2019 | 16h55 - Actualizado em 24 Maio de 2019 | 20h30

Executivo quer evitar défice fiscal em 2019

Luanda - O Executivo angolano está a trabalhar para evitar défices fiscais, através de acções que contribuam na diminuição dos níveis de endividamentos do país e da redução das taxas de juro praticadas no mercado nacional, afirmou hoje o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior.

Foto: Nelson Malamba

Em 2016 registou-se um défice de 3,7 por cento do Produto Interno Bruto PIB e em 2017 subiu para 6,3 por cento, devido ao aumento dos níveis de endividamento do país.

A dívida pública, que em 2013 era de 30 por cento do PIB, em 2018 subiu para mais de 84 por cento.

Manuel Nunes Júnior, que falava na abertura da discussão do tema “Ambiente de negócios e Oportunidades de Investimentos”, no Fórum Mundial do Turismo, afirmou que as medidas tomadas pelo Executivo permitiram que o défice fiscal de 6,3% em 2017, passasse para um superavit em de 2,2 por cento em 2018.  

Em relação a taxa de inflação, disse estar a conhecer uma trajectória descendente e justificou que em 2018 esteve situado em 18,6 por cento, quando o Orçamento Geral do Estado OGE) do mesmo ano previa uma taxa de 28 por cento.

O responsável, que não apontou número, afirmou que o mercado cambial caminha para a normalização, com redução da diferença entre a taxa de câmbio oficial e do mercado paralelo.

Destacou a importância do portador do visto do investidor, com três anos de permanência ininterrupta em Angola, poder obter autorização de residência temporária no país.

Em relação ao Fórum, afirmou que o sector do Turismo é uma das áreas que se precisa desenvolver no país, para reduzir a dependência excessiva do petróleo, que constitui cerca de 95 por cento dos recursos de exportação e mais de 70 por cento das receitas tributárias do país.  

Tendo acrescentado que o Fórum Mundial do Turismo que se realiza em Angola, ser uma ocasião para os grandes players do turismo mundial conheçam potencialidades de Angola e façam parcerias para o florescimento nacional deste sector.   

O Fórum Mundial do Turismo, aberto nesta quinta-feira  pelo Presidente da República, João Lourenço, prossegue hoje com debates e palestras, como destaque para o tema “O Ambiente e oportunidades de negócios e Impacto do Turismo nas economias globais”.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 24/05/2019 19:44:38

    Ministra insta governos provinciais a gizarem planos de marketing

    Ndalatando - A ministra da Indústria, Bernarda Martins, advogou nesta sexta-feira, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, os governos provinciais a gizarem seus próprios planos de marketing para atrair investidores, turistas e darem a conhecer o que têm de melhor nos seus territórios para oferecer.

  • 24/05/2019 18:36:33

    Madeireiros pedem maior celeridade na atribuição de licenças

    Menongue - O presidente da Associação de Madeireiros do Cuando Cubango, Joaquim Gaspar Santana, solicitou hoje, do Ministério da Agricultura e Florestas maior celeridade na atribuição de licenças de exploração de madeira, para facilitar a actividade dos madeireiros na província.

  • 24/05/2019 16:27:08

    Cidadela Jovem de Sucesso produz mais de 800 ovos dia

    Malanje - A escola rural de capacitação e ofícios, denominada "Cidadela Jovem de Sucesso", localizada no município de Mucari, cerca de 58 quilómetros a lesta da cidade de Malanje, produz 870 ovos/dia.