Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

29 Agosto de 2019 | 15h21 - Actualizado em 29 Agosto de 2019 | 15h20

Barragem de Cambambe recebe caldas de cimento

Luanda - As obras de injecção de caldas de cimento para a consolidação da estrutura da barragem de Cambambe, na província do Cuanza Norte, vão garantir maior robustez e durabilidade das estruturas de betão do empreendimento.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O secretário de Estado da Energia, António Belsa da Costa, constatou quarta-feira, no aproveitamento hidroeléctrico de Cambambe, o grau de execução dos trabalhos de injecção de massa betuminosa nos encontros da queda de água da barragem de Cambambe.

Trata-se de um processo normal que ocorre em qualquer obra de construção de complexos hidroeléctricos visando a eliminação de algumas fissuras resultantes do alteamento feito em várias camadas, de modo a tornar a estrutura mais  homogénea.

Segundo uma nota de imprensa chegada hoje à Angop, refere que o sector, através das centrais térmicas de Luanda, Benguela e Huambo, pertencentes ao sistema interligado Norte e Centro bem como o ciclo combinado do Soyo têm permitido o fornecimento regular de energia eléctrica em dez províncias.

O aproveitamento hidroeléctrico de Cambambe, cujas obras de construção tiveram início em 1958, entrou em operação com o seu primeiro grupo gerador, produzindo 45 Mw, no dia 06 de Outubro de 1962 e, no ano seguinte, entrou em funcionamento o segundo grupo de igual potência, fornecendo energia para Luanda e demais províncias do Norte.

Em 1972 entram em funcionamento os dois outros grupos (3 e 4), produzindo um total de 180 Mw. Tal potência se manteve até princípios de 2009, altura em que se deu início ao processo de reabilitação e ampliação do complexo hidroeléctrico que, até então alimentava o sistema eléctrico Norte que compreende as províncias de Luanda, Cuanza Norte, Malanje e Cuanza Sul.

Em 2009, foi aprovado um projecto do Governo de modernização da antiga central que decorreu em paralelo com as obras de construção da central II, iniciadas em 2011 e concebida com quatro grupos geradores dotados de uma capacidade 175 MW/cada, totalizando 960  MW, cuja inauguração ocorreu em Junho de 2017.

O projecto de reabilitação e ampliação da barragem de Cambambe esteve dividido em três fases, nomeadamente, Alteamento (de 100 para 130 metros),  modernização da antiga central e a construção da central número dois que contribuiu para elevação significativa dos níveis de produção de electricidade.

Assuntos Barragens  

Leia também
  • 29/08/2019 13:59:26

    Japão: Marubeni reforça investimento em Angola

    Yokohama (Dos enviados especiais) - O presidente da empresa japonesa de construção e reabilitação de plantas industriais "Marubeni", Masumi Kakinoki, manifestou, nesta quinta-feira, o interesse de apoiar a construção de barragens na província do Cunene, em Angola.

  • 21/08/2019 16:56:23

    Baixo nível de água reduz capacidade da Barragem do Gove

    Caála - O Aproveitamento Hidroeléctrico do Gove, a 119 quilómetros da cidade do Huambo, reduziu, nos últimos meses, a sua capacidade de fornecimento de energia eléctrica de 60 para 10 megawatts, devido ao baixo nível de água da albufeira, por falta de chuva.

  • 04/08/2017 12:59:32

    Dados cronológicos sobre Barragem de Laúca

    Luanda - A construção da barragem de Laúca constitui um longo processo que vem da década 50 do século XX, mas apenas agora vai conhecer a sua conclusão com a entrada em funcionamento da primeira turbina de 334 megawatts.