Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

02 Setembro de 2019 | 18h38 - Actualizado em 02 Setembro de 2019 | 18h38

Calandula terá pista para aviões de pequeno e médio porte

Malanje - A vila de Calandula que completa hoje, segunda-feira, 90 anos desde que ascendeu à categoria de município, terá até ao final deste ano, um aeródromo para aterragens de aviões de pequeno e médio porte, revelou hoje o administrador municipal de Calandula, Pedro Dembue.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Quedas de Calandula

Foto: antonio Escrivao

Segundo o administrador, as obras do aeródromo terão início este mês e vão consistir na desmatação da pista com mil e 500 metros de cumprimentos e 100 de largura, vedação do perímetro aeroportuário e construção do hangar e de outras infra-estruturas de apoio.

Em declarações à ANGOP, por ocasião do 90º aniversário do município, que hoje se assinala, o responsável disse que já se encontram montados os estaleiros onde estão acomodados dezenas de funcionários e maquinarias.

Esta iniciativa do Executivo, disse o gestor, visa dar maior impulso no desenvolvimento do município com realce para o sector turístico, principal cartão postal da região.

Pedro Dembue afirmou que a pista vai dar maior vitalidade ao turismo, uma vez que o município recebe aos fins-de-semana, uma média de 500 turistas. Essa procura leva o governo a envidar esforços no sentido de criar infra-estruturas de apoio ao turismo, de modo a se obter receitas.

Apelou à classe empresarial nacional e estrangeira a investir no município nas várias áreas, sobretudo do turismo, devido ao potencial que a região possui, visando fomentar o desenvolvimento, criar empregos para a juventude e parcerias público-privadas.

Realçou que paralelamente aos trabalhos de construção da pista, o município está focado na melhoria do fornecimento da energia e água, tendo em curso a construção de uma subestação eléctrica da rede pública com capacidade para 110 KVA, que será alimentada pela barragem de Capanda.

As obras estão a 85 por cento e prevê-se terminar em Novembro, numa altura que se ultimam as fundações que vão sustentar a subestação e a casa de comando, assim como decorrem trabalhos da construção da linha de transporte de energia de Cacuso à Calandula, numa extensão de 50 quilómetros, a fim de beneficiar 10 mil habitantes.

Quanto à água, a localidade vai contar este ano com um centro de captação, tratamento e distribuição ampliado, que vai beneficiar mais de três mil famílias da sede municipal, que actualmente percorrem longas distancias a procura do líquido.

Outra grande preocupação da administração local prende-se com as vias de acesso, por entender-se que o desenvolvimento depende da melhoria da rede viária, sobretudo dos principais pontos de concentração populacional, turísticos e de produção. Isso permite igualmente levar às zonas mais recônditas serviços sociais básicos e o comércio entre o campo e a cidade.

A administração municipal iniciou, no mês de Agosto, a reabilitação de 32 quilómetros do troço que liga a sede de Calandula à comuna do Quinje, visando facilitar o escoamento do café e impulsionar o turismo nas quedas de Musseleje.

O actual estado do município ainda não agrada a administração local, que anseia por mais resultados. Porém o administrador reconhece que a vila municipal apresenta-se melhor comparativamente aos três últimos anos.

O município de Calandula, antes Duque de Bragança, dista a 85 quilómetros a Oeste da cidade de Malanje. Conta com uma população estimada em 90 mil habitantes distribuída em quatro comunas, nomeadamente Cota, Cuale, Quinje e Cateco Cangola, e 464 aldeias. Ocupa uma extensão de sete mil e 37 quilómetros quadrados.

Leia também
  • 01/09/2019 21:34:54

    Paralisação do comboio dá prejuízos de mais de AKZ 100 milhões

    Zenza do Itombe - Mais de 100 milhões de kwanzas é o prejuízos que a empresa dos Caminhos de Ferro de Luanda (CFL) em decorrência dos seis meses de paralisação dos comboios entre a capital do país (Luanda) e a cidade do Dondo, município de Cambambe (Cuanza Norte).

  • 31/08/2019 11:30:57

    Empresários da Huíla devem 12 mil milhões de kwanzas ao BDA

    Lubango - Setenta e cinco projectos, dos 77 financiados pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) na província da Huíla, estão com o prazo de liquidação do financiamento vencido, num valor global de mais de 12 mil milhões de kwanzas.

  • 31/08/2019 00:40:25

    Participação de Angola na TICAD7 no Japão foi destaque económico

    Luanda - A participação de Angola na 7ª Conferência Internacional de Tóquio para o Desenvolvimento de África (TICAD7), em Yokohama, Japão, com uma delegação chefiada pelo Chefe de Estado, João Lourenço, constituiu o principal destaque económico da Angop, ao longo da semana, que hoje termina.