Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

13 Setembro de 2019 | 16h12 - Actualizado em 13 Setembro de 2019 | 16h09

Diversificação da produção constitui imperativo nacional

Luena - O ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, considerou nesta sexta-feira, no Luena (Moxico), que o aumento da produção e a diversificação da economia nacional são imperativos nacionais para o país desenvolver-se.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ao discursar na abertura do Fórum da Agricultura Moxico 2019, sob o lema "Desenvolver a agricultura, criar emprego e combater a pobreza", o governante afirmou que o país tem de diminuir a dependência do petróleo, apostando no segmento produtivo não petrolífero, com vista a ter um crescimento sustentado e sólido.

Manuel Nunes Júnior, que integra a delegação do Presidente da República, João Lourenço, em visita de trabalho de dois dias à província do Moxico, sublinhou que numa primeira fase o país deve ser auto-suficiente e deixar de importar alimentos de alto consumo.

Salientou que ao passar a produzir no país o próprio alimento ficará garantido o aumento do emprego em Angola, e por conseguinte o rendimento das famílias, o combate à fome e à pobreza, bem como reduzir a pressão sobre as divisas do país.

Exortou ao engajamento do empresariado nacional e estrangeiro, no aumento da produção interna, garantindo que o Estado vai criar condições para que o investimento privado tenha o maior retorno possível.

O ministro de Estado informou que o programa de estabilização macroeconómica tem resultados positivos nas contas públicas, na diminuição da inflação e normalização gradual do mercado cambial do país.

Adiantou que o programa de privatização em curso visa reforçar o sector empresarial privado, aumentar a eficiência da economia e, sobretudo, aumentar os níveis de emprego no país.

Acredita que a privatização de fazendas, como a de Camaiangala, pode contribuir, em pouco tempo para elevar a produção nacional, aumentar as receitas tributárias e a substituição das importações.

Para o caso da província do Moxico, de acordo com o ministro da Estado, o Executivo vai dar maior atenção a melhoria das estradas, para facilitar o escoamento da produção agrícola, sobretudo a familiar.

Disse que o Governo vai criar condições para que o Moxico volte a ser forte na produção de arroz e outros produtos.

O governante disse esperar do fórum propostas para a melhoria das políticas para alavancar o sector produtivo.

Assuntos Economia  

Leia também
  • 13/09/2019 12:55:01

    Angola apura-se para africano de programação no Egipto

    Luanda -Três equipas angolanas apuraram-se pela primeira vez para o campeonato Africano e Árabe Universitário de Programação, após vencerem a terceira edição do Concurso Angolano Universitário de Programação (AoCPC), soube hoje a Angop.

  • 12/09/2019 19:38:44

    Mulheres exortadas aproveitar incentivos do Executivo

    Menongue - O empreendedorismo feminino no cuando Cubango requer mais iniciativas, para um adequado aproveitamento e valorização das oportunidades oferecidas pelo Executivo, com vista a melhor contribuírem para o desenvolvimento do país.

  • 12/09/2019 17:23:13

    ENDE aposta no pré-pago para reduzir perdas

    Ndalatando - A Empresa Nacional de Electricidade (ENDE) vai instalar até 2022, nos 10 municípios da província do Cuanza Norte, 35 mil contadores pré-pagos, com vista a reduzir as perdas comerciais, estimadas em mil milhões e 320 milhões de kwanzas.