Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

13 Julho de 2020 | 14h00 - Actualizado em 13 Julho de 2020 | 14h07

Região centro prepara-se para início do RAPP

Benguela - Cento e 38 agentes de campo das províncias de Benguela e do Cuanza Sul participam, desde hoje (segunda-feira) até 23 do corrente mês, numa acção formativa para execução, nas respectivas áreas, do Recenseamento Agro-Pecuário e Pescas (RAPP), a decorrer este ano no país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Efectivo bovino - um dos alvos do RAPP

Foto: Francisco Miúdo

Entre os agentes censitários, consta para cada uma das províncias, dois supervisores, igual número de informáticos e de cartógrafos, que deverão trabalhar com os demais recenseadores.

Em declarações à Angop, o coordenador técnico nacional adjunto do RAPP, Agostinho Sardinha, defendeu a necessidade de se produzir informações estruturais relacionadas com a agricultura e pescas, a partir dos quais serão disponibilizados indicadores fiáveis dos dois sectores.

Na mesma senda, disse, além de se conhecer a sua estrutura, designadamente o número de unidades agro-pecuárias, uso e aproveitamento da terra, posse e uso dos meios de produção, o RAPP prevê igualmente descrever o uso real das tecnologias a nível nacional, provincial e municipal, bem como conhecer a superfície arável do país.

Na sessão de abertura do curso, o chefe do departamento provincial da Agricultura, Gabriel Martinho, reforçou que o censo vai permitir obter, com certeza, dados estatísticos de qualidade a serem usados no processo de formulação de políticas e planos de desenvolvimento desses sectores, bem como monitorar os objectivos de desenvolvimento sustentável definidos pelas Nações Unidas para o país.

Por outro lado, acrescentou, tendo em conta a estratégia de diversificação da economia assumida pelo Executivo, onde a agricultura e as pescas são apontadas como áreas de destacada importância, acredita-se que os resultados do RAPP vão jogar um papel fundamental na estratégia de promoção da segurança alimentar.

Por esta razão, indicou, as autoridades regozijam-se pelo envolvimento da Organização das Nações Unidas, através da FAO, que está a prestar assistência técnica assinalável a esta operação estatística no país.

O envolvimento da FAO, considera Gabriel Martinho, assegura o alcance dos objectivos do RAPP, nas perspectivas técnica e metodológica, garantindo que os seus resultados tenham qualidade e padrões internacionalmente aceites.       

Este projecto teve início em 2017, na comuna da Funda, em Luanda, com o lançamento de um pré-teste, porém, por dificuldades relacionadas com o seu financiamento, só em 2018 foi realizado o “senso piloto”.

Entre outras personalidades, participou da sessão de abertura, o conselheiro técnico principal da FAO para censos e inquéritos agrícolas em Angola, Domingos Diogo.

Leia também
  • 13/07/2020 16:46:19

    Angola possui potencialidades para combater a fome - FAO

    Benguela - Angola dispõe de "exuberantes e imensuráveis" recursos hídricos e condições climatéricas favoráveis à produção agro-alimentar, o que possibilitará ao país, a curto ou médio prazo, reduzir a pobreza e combater a fome, afirmou, nesta segunda-feira, em Benguela, o conselheiro técnico da FAO, Domingos Diogo.

  • 08/07/2020 21:19:57

    Projecto-piloto de "hortas comunitárias" arranca no Lobito

    Lobito - Trezentas famílias vão ser envolvidas num projecto-piloto de hortas comunitárias, que começa já em Setembro deste ano, no município do Lobito, província de Benguela, com o objectivo de incentivar a agricultura familiar e combater a fome, sob a égide da Associação de Jovens Empreendedores de Angola (AJEA).

  • 08/07/2020 20:59:57

    Degradação de vias dificulta escoamento na zona alta da Canjala

    Lobito - Cerca de sessenta toneladas de produtos agrícolas, com destaque para feijão, milho, gingumba e batata-doce, deterioram-se anualmente na povoação de Monte Arroio, zona alta da comuna da Canjala, município do Lobito, província de Benguela, por falta de escoamento, apurou a ANGOP.