Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

16 Setembro de 2020 | 10h02 - Actualizado em 16 Setembro de 2020 | 10h24

PIIM impulsiona transformação de rochas ornamentais

Lubango - A transformação de rochas ornamentais na província da Huíla subiu de mil e 421 metros cúbicos, para mil e 621/mês, fruto de solicitações de empresas no ramo da construção civil para acabamentos de obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Trabalhadores em fábrica de transformação de granito

Foto: Morais Silva

Ainda assim a produção local está muito abaixo da capacidade de extracção, fixada em 70 mil metros cúbicos por ano, mais de 90 por cento da qual é exportada através do Porto do Namibe.

A transformação feita por duas empresas, uma localizada no Lubango e outra na Chibia, consubstancia-se em artefactos de acabamentos para obras de construção civil, comercializadas nas províncias da Huíla, Benguela, Luanda, Malanje, Bié, Huambo, Cuando Cubango, Bengo, Cuanzas Norte e Sul e Moxico.   

A província da Huíla tem 16 empresas que operam no subsector de rochas ornamentais, cuja produção em matéria bruta vai maioritariamente para a China, Espanha, Itália, Portugal, Índia, Polónia e Dubai.

Actualmente o sector mineiro na província da Huíla gerou 831 postos de trabalho, dos quais 783 nacionais e 48 estrangeiros.

O director do gabinete provincial para o Desenvolvimento Económico integrado da Huíla, Manuel Quilende, em declarações à Angop, disse que a quantidade do material transformado oscila em função das solicitações que os operadores têm, quando mais pedidos tiverem, mais produto acabado colocam à disposição do mercado.

As metas a atingir, à luz do Plano Nacional de Desenvolvimento e do PRODESI, a médio prazo, é aumentar a capacidade instalada do ponto de vista operativo do subsector, criando novas oportunidades de negócios com o surgimento de novas empresas, frisou.

Indicou que a extracção do granito nas minas também cresce, em função do aumento de uma para duas frequências de composições de blocos de granito por dia pelo Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM) para o porto do Namibe.

A título de exemplo, apontou a empresa Hipermáquinas, localizada na Chibia, que subiu a sua produção de 20 para 50 unidades/dia.  

O CFM assumiu em Maio de 2018 o transporte exclusivo do granito, depois da proibição por via rodoviária pelos governos da Huíla e Namibe, fruto da degradação das estradas.

A média de crescimento anual de operadores de rochas ornamentais varia entre dois a três projectos e têm nove empresas que aguardam pelos respectivos títulos de exploração, segundo dados do gabinete.

Entre as dificuldades enfrentadas pelo sector, Manuel Machado apontou a obtenção de divisas para aquisição de peças sobressalentes no mercado externo e os custos operacionais praticados pelo Porto do Namibe para exportação do mineiro.

Leia também
  • 15/09/2020 13:49:31

    Prodesi desembolsa AKz 143,6 mil milhões

    Luanda - O Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) desembolsou, desde 2019 até a presente data, um total de AKz 143,6 mil milhões ao sector produtivo, tendo proporcionado a geração de aproximadamente 27 mil postos de trabalho directos.

  • 15/09/2020 11:21:31

    Preços variam 1,83 por cento

    Luanda - O Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), indicador que mede a inflação, registou uma variação de 1,83 por cento, de Julho a Agosto, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

  • 15/09/2020 10:51:15

    Camponeses da Chicomba recebem fertilizantes

    Chicomba - Pelo menos 761 famíliasas camponesas das comunas do Quê e sede municipal de Chicomba, na Huíla, beneficiaram, nesta segunda-feira, de 79,5 toneladas de fertilizantes, através do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização (SAMAP).