Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

01 Janeiro de 2006 | 09h48

Ministério da Educação lança Dicionário de língua gestual angolana

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 01/01 - Um Dicionário da Língua Gestual Angolana serálançado este mês pelo Ministério da Educação (MED), com objectivo de facilitar a integração escolar e social da comunidade surda.

O primeiro volume do dicionário será lançado experimentalmente em versão digital. Este projecto vem juntar-se à campanha de rastreio da surdez, iniciado no ano passado, tendo em conta que milhares de crianças em idade escolar sofrem deste mal, que é também uma das causas do insucesso escolar.

Ainda para o presente ano, com vista a colmatar os diversos problemas queo sector enfrenta, o MED vai melhorar a qualidade de ensino e à escala nacional continuar a implementar o programa da reforma educativa do ensino geral iniciado em 2004 com 430 escolas abrangidas.

Destas escolas 347 são primárias, 52 do I ciclo do ensino secundário (7ª e 8ª classes), 11 do II ciclo (9º a 12ª classes), duas de formação profissional e 18 de formação de professores do I ciclo.

Este projecto permitiu abranger cem mil alunos distribuídos pelas diferentes classes e níveis, enquadrar mais de três mil docentes, introduzir novos manuais escolares, programas, guias metodológicos, cadernos e fichas de actividades, bem como a realização de seminários metodológicos para a capacitação de cerca de dois mil professores.

No domínio da cobertura escolar, o Governo estendeu o ensino primário por todo o país, incluindo as áreas então consideradas inacessíveis durante a guerra, facto considerado, pelo titular da Educação, como inédito desde a independência, em 1975, destacando-se a incorporação no sistema de 50 mil novos agentes de ensino.

A incorporação dos novos agentes conduziu à evolução de um milhão e quinhentos efectivos escolares para 5.185.509 novos agentes de ensino, dos quais 4.707.929 são alunos do ensino primário que beneficiaram de ensino gratuito, o que traduziu um crescimento de 300 por cento.