Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

18 Agosto de 2007 | 16h56

Celso Malavoloneque é o primeiro licenciado em Comunicação Social no país

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 18/08 - O estudante da Universidade Privada de Angola (ex-ISPRA ), Celso Malavoloneque é desde hoje, o primeiro licenciado em Comunicação Social no país desde a independência.

O estudante que obteve do júri, composto pelos docentes João Melo (presidente), Adérito Kizunda e Amélia Borja, a pontuação de 17 valores, apresentou a monografia com o tema " A estrelinha cuia - logomarca das jornadas nacionais de vacinação contra a pólio: primeira experiência de marketing social em Angola independente".

Durante cerca de 40 minutos, Celso Malavoloneque mostrou aos presentes como as técnicas e métodos de marketing, publicidade e relações públicas podem ser adaptados para fins sociais de utilidade pública e qual o seu impacto entre a comunidade.

O recém-formado espera que a sua dissertação ajude a despertar as pessoas de como o uso dessas ferramentas pode levar o cidadão comum a ter mais acesso à informação, adquirir comportamentos que o protejam de doenças imuno preveníveis ou daquelas cuja redução dependem da prevenção.

Depois de emocionar a audiência não apenas pela exposição convincente e cientificamente bem elaborada, mas por entoar uma canção de Felipe Zau e Felipe Mukenga, na sua língua nacional (Umbundo), Celso Malavoloneque mereceu do júri elogios pela pertinência na escolha da abordagem que segundo eles, realça o papel da universidade na sociedade.

Na ocasião, o docente e director do Cefojor, Albino Carlos, disse que a aposta na formação a nível da comunicação visa melhorar a qualidade dos conteúdos e desempenho dos quadros, bem como o incentivo à investigação científica.

Segundo Albino Carlos, a formação neste sector vem igualmente contribuir para a afirmação da democracia e isenção profissional.

Com este acto, a Universidade Privada de Angola (ex-ISPRA) que já colocou no mercado cerca de 300 licenciados ( 2006), marca o início das defesas de monografias do curso de Comunicação Social, que numa primeira etapa contempla apenas sete estudantes.